Evento reuniu ex-jogadores de grandes times para ação que vai levar aos estádios 100 mil cartões vermelhos contra racismo

Campanha contra o racismo foi lançada no Palácio dos Bandeirantes com ex-jogadores, Federação Paulista e o governador Alckmin
Bruno Winckler/iG
Campanha contra o racismo foi lançada no Palácio dos Bandeirantes com ex-jogadores, Federação Paulista e o governador Alckmin

As partidas semifinais e as finais do Campeonato Paulista de 2015 serão usadas pela federação estadual, com apoio do governo de Geraldo Alckmin, para campanha contra o racismo. 

Nesta quinta-feira, o Palácio dos Bandeirantes recebeu ex-atletas de Corinthians, Palmeiras, Santos e São Paulo para promover a "São Paulo contra o Racismo", que pretende levar 100 mil cartões vermelhos para serem distribuídos entre os torcedores que forem aos jogos dos dias 19 e 26 de abril, e 3 de maio. 

A ideia, segundo os organizadores, é que os locutores do Itaquerão e da Vila Belmiro, estádios que recebem Corinthians x Palmeiras e Santos e São Paulo neste domingo, convoquem os torcedores a exibirem o cartão que vão receber no meio das partidas. "Será num momento em que a bola estiver parada, sem prejuízo à partida", disse Jaime Franco, diretor de marketing da FPF. 

Jogadores dos quatro semifinalistas fizeram vídeos para a campanha. Assista!

Basílio, Wladimir e Zé Maria, ex-jogadores do Corinthians, César Maluco, ex-Palmeiras, Oscar e Daryo Pereira, ex-São Paulo e Lima, Gilberto Sorriso e Mengálvio, ex-Santos, estiveram no evento. "É importante dar esse apoio. Racismo sempre teve. Mas qualquer coisa que fizerem para amenizar esse problema é importante", disse Mengálvio. 

Bola das semifinais terá logo da campanha contra o racismo
Bruno Winckler/iG
Bola das semifinais terá logo da campanha contra o racismo

Além da campanha nas partidas finais do Paulistão, foram gravados 78 depoimentos com jogadores dos quatro semifinalistas e da Ponte Preta que serão veiculados nas redes sociais. A ideia de Elisa Lucas Rodrigues, coordenador de Políticas para a População Negra e Indígena, é aumentar a campanha para outros campeonatos, e não só para a reta final do Paulistão. 

Para Alckmin, que bajulou muito os ex-jogadores do Santos presentes - o governador é torcedor do time da Vila Belmiro - a federação paulista e a CBF devem intensificar as campanhas e ampliar a punição a casos de racismo nos estádios. Ele citou a lei assinada por ele em 2010 em que torna crime qualquer atitude racista no Estado de São Paulo. "Não há nada mais oposto ao espírito esportivo e olímpico do que o racismo. São coisas completamente incompatíveis", disse. 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.