Campeonatos perdem público e dinheiro em comparação ao ano passado, e apenas Paulistão alavanca faturamento

Palmeiras arrecada sozinho mais que campeonatos estaduais
Marcos Bezerra/Futura Press
Palmeiras arrecada sozinho mais que campeonatos estaduais

Disputar o cada vez menos empolgante campeonato estadual se tornou uma missão árdua para os clubes brasileiros. Com regulamentos esdrúxulos, ingressos caros e premiações pouco atraentes, o público desapareceu dos estádios e lucro logo se transformou um privilégio para poucos.  A maior prova disso está na primeira fase das competições, que terminou nesta quinta-feira e dimensiona o tamanho do buraco em que o futebol brasileiro está enterrado.

Dentre os principais Estaduais do Brasil, o Campeonato Carioca é o que possui menor arrecadação em bilheteria, com a renda total de R$ 2.492.971,43 e uma média de público de apenas 4.279 torcedores por partida nesta primeira etapa do torneio. O Fluminense foi quem sentiu com maior intensidade essa nova realidade e, até o momento, é o clube que mais perdeu dinheiro disputando a competição. Por jogo, a equipe tirou do próprio bolso R$ 12.704,94, sendo um montante de R$ 101.639,51 em oito jogos.

A pífia média de público dos clubes do Cariocão assusta. Os clubes de menor expressão não conseguiram colocar nem três mil torcedores dentro do estádio, enquanto que os grandes sequer atingiram a marca de 20 mil expectadores. Apenas o Flamengo – que tem o melhor índice – chegou perto do número: 19.259 presentes.

Leia também: 

+ De veteranos a eternas promessas, confira os reforços inusitados dos Estaduais

+ Ituano, Madureira, Caxias, Penapolense... Relembre as zebras dos estaduais

Estaduais já foram ápice das rivalidades. Relembre jogos que ficaram na memória

+ Estaduais pagam pouco a campeões e não dão retorno esportivo em contrapartida

+ Estaduais começam com bizarrices em alguns regulamentos. Veja alguns deles

Nos campeonatos Mineiro, Gaúcho e Pernambuco não é diferente e o público médio não ultrapassa quatro mil pessoas. Em Belo Horizonte, por exemplo, o torneio perdeu adeptos e o Cruzeiro – bicampeão brasileiro – viu a sua média de renda cair consideravelmente. São R$ 23.290,27 contra R$ 51.751,86 arrecadados por confronto no ano passado.

Paulistão é a única exceção à regra. O campeonato conseguiu aumentar o público e caixa em comparação ao ano passado. Em 2015, a média cresceu para 6.729 torcedores por jogo (contra 5.686 anterior) e, consequentemente, o faturamento total saltou de R$ 13.472.343,29 para R$ 20.985.712,48. O Palmeiras é o responsável por 51% de toda renda levantada pelo Paulistão até aqui e sozinho tem cifras maiores que os campeonatos Carioca, Mineiro, Gaúcho e Pernambucano.

Neste ano, segundo a análise da Pluri Consultoria , os Estaduais perderam 7% em valor de mercado. Para a empresa, a queda reflete o constante enfraquecimento financeiro das principais equipes. 

Campeonato Renda (R$) Renda total (R$) Público médio pagante Público médio total
Paulista 141.795,35
20.985.712,48
6.729 995.827
Carioca 22.258,67 2.492.971,43 4.279 479.226
Gaúcho 55.616,19 6.673.942,76 3.449 413.884
Mineiro 52.944,49
3.494.336,24
3.853
254.327
Pernambucano 29.725,77
3.359.012,56
3.562
402.467

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.