Treinador deixou o cargo nesta segunda-feira, um dia depois da derrota para o Botafogo em Ribeirão Preto, pelo Paulistão

Muricy Ramalho: saúde precária
André Lucas Almeida/Futura Press
Muricy Ramalho: saúde precária

Muricy Ramalho não é mais o técnico do São Paulo . A saída foi acertada na tarde desta segunda-feira em comum acordo com a diretoria do clube. Uma reunião com o presidente Carlos Miguel Aidar aconteceria no começo da manhã, mas foi cancelada porque o treinador não se sentiu bem.

Leia mais: Estaduais têm um grande na berlinda e clássico abrindo mata-mata

Do lado do treinador, o que pesou na decisão de deixar o clube é a saúde. Muricy sofre com uma diverticulite e pedra na vesícula e precisa de uma cirurgia, que vinha sendo adiada devido aos compromissos com o São Paulo. Agora que deixou o cargo, ele deve se submeter o quanto antes à operação.

Em nota, Muricy se pronunciou sobre sua saída.

“O presidente do São Paulo, Carlos Miguel Aidar, o Vice-Presidente de Futebol, Ataíde Gil Guerreiro, e eu nos reunimos agora à tarde e decidimos pela minha saída do clube. Estou com problemas de saúde, devo fazer uma cirurgia na próxima semana e preciso desse tempo que o São Paulo não tem no momento. Quero agradecer ao presidente, aos jogadores, os funcionários do clube, os meus companheiros de comissão técnica e, principalmente, aos torcedores que entendem esse meu momento. Preciso nesse momento dos devidos cuidados com a minha saúde. Não é um adeus, é um até breve pela relação que tenho com o São Paulo Futebol Clube. Desejo muita sorte a todos”, disse Muricy, via sua assessoria de imprensa.

Veja treinadores que estão no mercado e poderiam assumir o São Paulo:

O último jogo desta passagem de Muricy pelo São Paulo foi a derrota de domingo por 2 a 0 para o Botafogo-SP , em Ribeirão Preto, pelo Campeonato Paulista. A equipe do Morumbi está classificada para o mata-mata estadual como líder do grupo, mas tem até agora a pior campanha entre os quatro grandes. Na quarta-feira enfrenta a Portuguesa em casa.

Mais problemática do que o Paulistão, porém, é a campanha na Libertadores. Com seis pontos em quatro jogos, o time briga pela segunda vaga do grupo 2 com o San Lorenzo, que tem a mesma pontuação, enquanto o Corinthians lidera com 12 pontos. No dia 15 de abril o São Paulo enfrenta o Danubio no Uruguai, e depois joga contra o Corinthians no Morumbi, dia 22.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.