Engenhão também apresentou irregularidades em áreas internas, mas foi apenas notificado pelo Procon do Rio

Estádio do Bangu está cheio de irregularidades
Arquivo iG
Estádio do Bangu está cheio de irregularidades

O Procon Estadual, ligado à Secretaria de Estado de Proteção e Defesa do Consumidor, realizou na última quarta-feira nova ação de fiscalização da Operação "De Olho no Lance".  Os fiscais vistoriaram dois estádios durante a realização de jogos do Campeonato Carioca: o Moça Bonita, em Bangu, e o Nilton Santos, estádio do Botafogo conhecido como Engenhão.

Veja a classificação, tabela de jogos, artilharia e notícias do Campeonato Carioca

O Moça Bonita, que recebeu a partida entre Bangu e Barra Mansa, não apresentou o certificado do Corpo de Bombeiros do Rio de Janeiro (CBMERJ) autorizando seu funcionamento. Caso não apresente o certificado na sede do Procon Estadual em 48 horas, o estádio será interditado até a apresentação do documento. O próximo jogo marcado para o estádio está agendado para o dia 29 de março, entre Bangu e Tigres.

Além da ausência do certificado do Corpo de Bombeiros, o estádio Moça Bonita foi autuado por outras irregularidades. Ele não possui banheiro adaptado para cadeirantes e não tinha um exemplar do Livro de Reclamações, obrigatório em todos os estabelecimentos comerciais do Rio de Janeiro pela Lei Estadual n° 6.613/13.  Além disso, o número de bebedores no estádio não é suficiente para a sua lotação.  

No Engenhão, três cantinas foram autuadas por várias irregularidades. Em uma delas, a Dans Cantina, os fiscais encontraram seis copos de mate com o prazo de validade vencido. A Futebol Card, que administra as bilheterias do estádio, foi autuada por não ter um exemplar do Livro de Reclamações e do Código de Defesa do Consumidor (CDC), além de não ter um cartaz com o Disque 151 – telefone para receber denúncias e orientar os consumidores.

Balanço da Operação De Olho no Lance:

Estádio Moça Bonita (Bangu) - ausência do livro de reclamações; ausência de banheiro adaptado para cadeirantes; não há um número de bebedouros suficiente para a lotação do estádio; determinado prazo de 48h para apresentação do certificado do CBMERJ na sede da autarquia sob pena de interdição do estádio.

Dans Cantina (Estádio Nilton Santos) – ausência do Livro de Reclamações; Seis copos de mate (290ml) vencidos em 04/03/2015.

 Kome Pastel (Estádio Nilton Santos) – ausência de exemplar do CDC; ausência do cartaz do Disque 151; ausência do Livro de Reclamações.

Doguis (Estádio Nilton Santos) – possui o Livro de Reclamações, mas ele não está autenticado pelo Procon Estadual, como é ter determinado pelaLei Estadual n° 6.613/13. 

Futebol Card (Estádio Nilton Santos) – ausência de exemplar do CDC; ausência do cartaz do Disque 151; ausência do Livro de Reclamações.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.