Pré-temporada maior e manutenção de elenco de 2014 fazem times de São Paulo 'sobrarem' contra rivais regionais menores

Palmeiras é o único grande paulista não invicto no Estadual. Cenário em 2014 era diferente
Marcos Bezerra/Futura Press
Palmeiras é o único grande paulista não invicto no Estadual. Cenário em 2014 era diferente

A mudança feita pela CBF sob pressão do Bom Senso FC em 2015 que determinou um tempo maior de preparação para os clubes  do Brasileirão antes da estreia nos Estaduais começa a refletir em campo. Com mais treinos do que em outras temporadas, os grandes clubes brasileiros, em especial os de São Paulo, têm ampliado a distância para times menores. 

Leia também:  Maior pré-temporada aumenta receitas, mas não é ideal

Neste final de semana se disputa a oitava roada do Paulistão e entre os quatro principais clubes do Estadual, apenas o Palmeiras  perdeu partidas do torneio. Foram duas derrotas, as únicas dos grandes nesta edição (uma delas para o Corinthians ). Em 2014, a essa altura da competição, os quatro grandes já somavam sete derrotas. Até o fim da primeira fase do ano passado, foram 12 derrotas dos grandes em 15 rodadas. 

Em pontos perdidos, a diferença é ainda maior. Em 2014, até a 8ª rodada do Paulistão, Corinthians, Palmeiras, São Paulo  e Santos  já haviam perdido, juntos, 26 pontos para times menores do Estadual. Em 2015 foram apenas nove pontos perdidos. 

Paulistão
+ Veja a classificação, tabela de jogos, artilharia e notícias do Campeonato Paulista

"Em termos de Brasil, está ótimo. Isso foi uma coisa boa que a federação fez, nos deu muito mais dias para treinar. Em termos de Brasil, né. Em (termos) mundiais, os caras têm muito mais tempo para preparar que a gente. Aqui não é possível. A federação ajudou bastante a gente, então está bom em termos de Brasil", disse o técnico do invicto São Paulo, Muricy Ramalho, no início do Paulistão. 

A principal reclamação de todos os grandes clubes no início de temporada no Brasil até 2014 era exatamente o pouco tempo de treino antes da estreia oficial. Geralmente em menos de duas semanas depois de um mês de férias os jogadores de times do Brasileirão já tinham de entrar em jogos competitivos contra rivais menores, mas que haviam tido mais tempo de preparação, tendo mais condições físicas de brigar com os clubes mais bem estruturados. Em 2015 o tempo de treinos foi de 25 dias. 

Pesa também a favor dos quatro grandes paulistas o fato de não terem perdido muitos jogadores de 2014 para esta temporada. Corinthians e São Paulo, que terminaram bem o Brasileirão, sofreram poucas alterações. Assim como o Santos. O Palmeiras contratou 19 jogadores e também melhorou. 

Grandes cariocas também têm vida mais fácil do que em outros anos
Marcello Dias/Futura Press
Grandes cariocas também têm vida mais fácil do que em outros anos

Carioca, Mineiro e Gaúcho
Em outros Estados a supremacia dos grandes não é tão evidente, mas também é menos ameaçada do que em outras temporadas. A exceção é o Rio Grande do Sul. Já no Rio, apenas o Flamengo não está posicionado entre os quatro primeiros colocados. 

Veja a tabela completa do Carioca

"É uma coisa que já vínhamos brigando há muito tempo. Este período maior de pré-temporada é importante para que o time estreie, se não no ideal, bem próximo dele. Treze a quinze dias de preparação, como acontecia nas temporadas anteriores, é um tempo muito curto. Desta vez pudemos começar nas condições esperadas e o resultado é este que estamos vendo", explicou Rodrigo Poletto, preparador físico do Fluminense, único grande carioca derrotado por um time menor até aqui, o Volta Redonda, quarto colocado.

Veja a classificação, tabela de jogos, artilharia e notícias do Campeonato Mineiro

Em Minas Gerais, o calendário já era mais generoso com Cruzeiro e Atlético-MG. Diferente de Rio e São Paulo, o Mineiro tem 12 times e menos datas e desde 2007 tem seu início já no fim de janeiro ou início de fevereiro. Os dois clubes estão na ponta da tabela, como normalmente acontece no Estado, apesar de estarem mal na Libertadores. A perda de jogadores importantes nos dois times é vista como responsável por essa queda.

Veja a classificação, tabela de jogos, artilharia e notícias do Campeonato Gaúcho

Os grandes clubes do Rio Grande do Sul, Internacional e Grêmio, são os únicos entre 12 mais populares clubes do País que estão tendo vida mais complicada no Estadual. O Inter, com uim jogo a menos, é apenas o quinto colocado, dois pontos atrás do líder Brasil de Pelotas. Já o Grêmio é o nono, com 11 pontos, quatro atrás do Brasil. O time de Luiz Felipe Scolari é o grande brasileiro que mais perdeu jogadores importantes de 2014 para 2015 e o técnico usa esse argumento para explicar a campanha irregular, apesar do período maior de treinos que teve na pré-temporada deste ano.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.