Junior Henrique, de 18 anos, joga no sub 20 do Avaí, mas ficou conhecido pelas fotos que publica no perfil do Instagram

Olhos verdes, corpo definido e cabelo impecavelmente escovado (e descolado) foram atributos suficientes para que Junior Henrique Eichelbergue, de apenas 18 anos, se tornasse popular nas redes sociais. Com 18 mil seguidores no Instagram, cinco fã-clubes e milhares de curtidas em fotos, o jovem garoto – que também é jogador – ficou famoso por causa do trabalho como modelo de campanhas publicitárias e agora repensa o futebol. A profissão que surgiu por acaso pode fazê-lo abandonar os gramados antes mesmo dele se profissionalizar.

Veja também:  Relembre nomes de destaque da Copinha que se tornaram coadjuvantes no futebol

Junior Henrique divide a rotina de treinos no Avaí com a carreira de modelo
Reprodução
Junior Henrique divide a rotina de treinos no Avaí com a carreira de modelo

Zagueiro do Avaí na última edição da Copa São Paulo em janeiro, Júnior Henrique batalha desde os dez anos, quando deixou as casas dos pais em Passo do Sobrado (RS), para se tornar jogador profissional. Com quase toda a formação nas categorias de base do Grêmio , ele ainda passou pelo Internacional  até chegar ao time sub 20 do Avaí em agosto do ano passado.  No entanto, os convites para trabalhar como modelo fora do Brasil pode forçá-lo a abandonar a dupla profissão e seguir o caminho da moda. Os próximos seis meses, conforme ele mesmo determinou, serão cruciais para que ele possa tomar uma decisão.

Eliminado pelo Botafogo-SP, Grêmio teve sósia de Mario Gotze na Copa São Paulo

“Meu pai, meus tios, minha família gostam muito do futebol e querem que eu continue. Eles acham que eu preciso esperar ao menos até os 21 anos para decidir. Mas se aparecer propostas como estão parecendo para ir para Milão e Miami, é uma oportunidade e tem a questão financeira. Vou esperar até o meio do ano para resolver”, disse ele em entrevista exclusiva ao iG .

Reconhecido na indústria da moda, empresário faz o Cianorte ressurgir no futebol

Junior Henrique começou a posar para as câmeras fotográficas quando tinha um pouco menos de 15 anos. Depois de tanta insistência de amigos e conhecidos, resolveu procurar uma agência de modelos do Rio Grande do Sul e fazer um book fotográfico. As fotos agradaram e não demorou para os trabalhos surgirem. Desde então, ele concilia o tempo entre treinos e ensaios.



“Eu nunca pensei em ser modelo. Mas de tanto as pessoas falarem que eu era modelo, me apelidarem, resolvi apostar nisso. Quando eu tinha 15 anos, a agência me ofereceu um contrato em São Paulo, mas eu queria focar no futebol e recusei. Agora eu fico no meio termo, faço algumas fotos e casting”, declarou. Ele, porém, admite que a primeira vez como modelo foi bem mais difícil do que se exibir no gramado. “Eu fiquei bem nervoso. Eram mais de dez câmeras, um monte de pessoas, e tendo de fazer foto sem camisa, só de cueca. Claro que a gente fica um pouco nervoso. Mas agora eu já me acostumei e levo numa boa”.

Football Manager da vida real: Novo Hamburgo tem o dirigente mais jovem do país

Vaidoso assumido, Junior Henrique gosta de cuidar do corpo e leva horas para se arrumar quando vai sair com os amigos. A beleza rendeu a ele diversos apelidos, comparações e chegou até a causar um certo ciúme entre os companheiros. Mesmo em tonto de brincadeira, os colegas reclamam da facilidade de Junior em atrair os olhares das mulheres. Até a cantora carioca Anitta se rendeu ao charme do zagueiro galã e o chamou para dançar coladinho no palco durante um show em Santa Cruz do Sul (RS).

“Eu sempre fui vaidoso. Mas os meninos brigam comigo porque não largo o espelho e quando a gente saí eles falam que não vai sobrar meninas para eles. Mas eu sou tranquilo. Agora muita gente está me perguntando da foto com a Anitta, mas nunca imaginei que seria chamado por ela para subir ao palco. Ela cantou uma música, não deu muito tempo para conversar, mas foi super simpática. Fiquei bem feliz”, contou ele.

Com tanto sucesso na internet, claro que Junior já desfruta de algumas vantagens. Na balada, por exemplo, o camarote e a bebida são liberados - embora ele não beba nada alcoólico -, e as admiradoras não parar de mandar presentinhos para ele, como ursinhos e pulseiras. “As meninas pedem para tirar foto, abraça, pedem telefone...Mas eu encaro com tranquilidade, pois temos de saber lidar”, reconhece o defensor que nunca namorou.

Ainda sem saber se perseverar no futebol, Junior Henrique já traça um plano alternativo para a vida. “Meu sonho mesmo é me tornar jogador de futebol. Se não der, vou seguir a carreira de modelo e tentar ser ator. É bom que as duas profissões estão ligadas, andam juntas”. Enquanto isso não acontece, ele curte o status de celebridade na rede social.


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.