Técnico acompanha jogos da Liga dos Campeões antes de convocar seleção no dia 3. Ida à Ásia não está nos planos

Dunga acompanhou PSG x Chelsea ao lado de Raí, seu companheiro de seleção em 1994
AP
Dunga acompanhou PSG x Chelsea ao lado de Raí, seu companheiro de seleção em 1994

O técnico Dunga não pretende ir à Ásia para observar alguns de seus convocados de 2014 para a seleção brasileira  que escolheram o continente para seguir suas carreiras a partir desta temporada. Três deles, Éverton Ribeiro, Ricardo Goulart e Diego Tardelli fizeram parte das listas no segundo semestre e agora vão disputar torneios pouco vistos no Brasil.

O técnico prefere ficar na Europa para assistir jogos da Liga dos Campeões e outros campeonatos nacionais. A próxima convocação será no dia 3 de março . Na última terça-feira ele assistiu a PSG e Chelsea em Paris. A intenção é estar perto de jogadores brasileiros, mas esse privilégio só terão os atletas de grandes europeus com suas partidas transmitidas ao vivo para todo o Brasil.

Leia também:  Histórico de Dunga no Japão é exemplo para quem adotou a China

Até a data da convocação, a liga dos campeões da Ásia também estará em curso e Dunga poderia observar in loco os três jogadores em ação. No dia 24 de fevereiro, terça-feira, Tardelli vai ao Vietnã com o Shandong Luneng para enfrentar o Binh Duong. Já Goulart entra em campo no dia 25, em casa com o Guangzhou Evergrande, contra o Seoul FC, da Coreia do Sul. Ele tem como parceiros de time Elkeson, Renê Junior e Alan.

Éverton Ribeiro, que está no Al Ahli, dos Emirados Árabes, joga no dia 25 em Dubai, contra o Al Ahli da Arábia Saudita. Dos três, apenas o último também está em ação pela liga nacional. O Campeonato Chinês começa apenas em março. No último dia 14, Shandong e Guangzhou se enfrentaram pela Supercopa da China e tanto Tardelli como Goulart estiveram em campo. O time do ex-atleticano venceu nos pênaltis depois de o jogo terminar 0 a 0. E a CBF perdeu a oportunidade de ver de perto como estão algumas das apostas neste início de trabalho de Dunga.

Em Paris, Dunga e Gilmar se encontraram com Alex Ferguson, ex-técnico do Man. United
CBF
Em Paris, Dunga e Gilmar se encontraram com Alex Ferguson, ex-técnico do Man. United

Segundo a entidade, o técnico vai se dedicar ao jogos na Europa para colher informações dos convocados. Gilmar Rinaldi, coordenador de seleções, explica que a entidade tem um mecanismo para observar jogadores em todo o mundo e não precisa estar em todos lugares. E aí, é melhor ver um jogo de Champions League a um da liga de clubes da Ásia.

"A gente tem um sistema que a CBF adquiriu agora que a gente consegue assistir os jogos, ou boa parte dos jogos, de mercados que não são tão competitivos. Nós vamos observar, porque as ferramentas para isso a gente já tem", disse Gilmar em entrevista à TV Globo. Ele acompanhou Dunga a Paris na última semana. 

Para Dunga, nenhum jogador está fora dos planos, ainda que atuando em mercados menos atraentes. "Ele tem que estar com espírito de competitividade. Se vai para um lugar onde não tem melhores condições, se ele tem um objetivo maior, tem que se preparar, montar estrutura pra não perder essa competitividade em nível mundial e seleção brasileira", comentou o técnico. 

É prática comum dos técnicos da seleção brasileira observar grandes jogos da Europa in loco. Mas nos novos tempos, com os principais jogadores da última temporada brasileira na Ásia, o leque de observações de Dunga poderia ser aberto para o outro lado do mundo. Não será. 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.