Tamanho do texto

Especulado no Santos, lateral-direito disputará o Estadual pela equipe. O vínculo tem duração de apenas três meses

Élder Granja já passou pelo Internacional, Palmeiras, Vasco, Atlético-MG e também Juventude. Agora ele assinou com o Cianorte
Divulgação/Site oficial do Juventude
Élder Granja já passou pelo Internacional, Palmeiras, Vasco, Atlético-MG e também Juventude. Agora ele assinou com o Cianorte

Especulado para defender o Santos  nesta temporada, o lateral-direito Elder Granja acertou o seu retorno ao futebol brasileiro. E não é com o time da Baixada Santista. Apesar de estar na cidade na casa dos pais, o jogador aceitou nesta sexta-feira um contrato de três meses com o Cianorte para disputar a segunda divisão do Campeonato Paranaense. O negócio foi concretizado graças a ajuda uma empresa do ramo de avícola. Trocadilhos à parte com o sobrenome de Elder, a parceira será responsável por bancar parte dos salários dele. Em troca, ela poderá explorar a imagem do lateral para a divulgação da marca. 

A negociação entre Cianorte e Elder Granja se iniciou após indicação de Fernando Carvalho, ex-presidente do Internacional. O advogado foi quem intermediou as conversas e convenceu o atleta a aceitar o projeto. "É o primeiro grande nome nacional que está vindo para o Cianorte. Tem bagagem em times grandes, título mundial..Estamos muito felizes em trazê-lo. O Elder vem para nos ajudar no Estadual e, como o salário dele é maior que a média dos demais que temos aqui, a parceira nos ajudou a viabilizar o contrato", comemorou Lucas Franzato, presidente do Cianorte.

Confira os reforços inusitados para os Estaduais:

Com apresentação marcada para a próxima terça-feira (24), Elder encarou com bom humor o ramo de atuação da parceira Gui Bon e a coincidência com o sobrenome. Ele, no entanto, ainda não sabe se fará alguma aparição inusitada como a de segurar um frango, por exemplo. "Eu achei bacana, legal. Por ter o Granja no nome, os trocadilhos fazem parte. Mas eles etsão ajudando bastante. São pessoas que estão ligadas ao futebol, mas ainda não me passaram nada sobre as ações. Ainda tem nada combinado para terça-feira além da apresentação oficial", garantiu em entrevista exclusiva ao iG .

A Gui Bon, por sua vez, é parceira de longa data do Cianorte e assegura que a brincadeira com o nome do lateral não pesou para que ela aceitasse entrar no negócio. "Surgiu a oportunidade e, nós como patrocinadores (ela estampa a camisa do clube), pensamos em atrelar o Elder a nossa marca. Independentemente do nome, o que nos fez investir foi o profissional, o histórico dele no futebol. Assim, ele nos ajuda a divulgar a nossa marca, expor o nosso produto", afirmou Rodrigo Guimarães, diretor financeiro e administrativo da empresa. Ainda segundo Guimarães, a empresa tem interesse de prolongar a parceria se o jogador assim quiser permanecer no clube.

Sem atuar desde que deixou o Kansas City, dos Estados Unidos, Elder Granja está treinando por conta e se sente apto para estrear o quanto antes. "Fiz 32 anos agora e sei do meu potencial. O Cianorte tem uma estrutura legal, com profissionais muito competentes. Mas fisicamente estou super bem. Preciso trabalhar com bola e fazer exercícios específicos de musculação, mas estou bem. Como o nível do futebol brasileiro está baixo, a expectativa aumenta mais. Então eu quero chegar aos menos até 37 anos jogando bem", concluiu.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.