Atletas que afundaram com o Brasil no Sul-Americano têm papel importante nos seus respectivos clubes e esperam melhorar para buscar o ouro nos Jogos Olímpicos

Seleção brasileira sub 20 ficou na 4ª colocação no Sul-Americano da categoria
CBF/Divulgação
Seleção brasileira sub 20 ficou na 4ª colocação no Sul-Americano da categoria

A seleção brasileira  sub 20 fez uma campanha bastante irregular no Sul-Americano da categoria, que terminou no último final de semana com a Argentina campeã. A equipe comandada pelo técnico Alexandre Gallo ficou apenas na quarta colocação, acumulando cinco vitórias, um empate e três derrotas.

A classificação final garantiu ao Brasil uma vaga no Mundial sub 20 e também aos Jogos Pan-Americanos, ambas competições que serão realizadas neste ano. Porém, se não fosse o país anfitrião nos Jogos Olímpicos de 2016, a seleção estaria fora da disputa.

Apesar do rendimento abaixo do esperado no Sul-Americano, muitos jogadores da equipe sub 20 têm papel importante em seus respectivos clubes e podem atuar de forma constante até o Rio 2016, o que ajudaria na busca pela inédita medalha de ouro.

Leia outras notícias sobre seleção brasileira no iG Esporte

O Palmeiras , por exemplo, cedeu a Alexandre Gallo o zagueiro Nathan Cardoso e o lateral direito João Pedro. Os dois atletas terminaram a temporada 2014 como titulares da equipe alviverde e voltam com boas chances de continuarem sendo escalados. João Pedro disputa vaga com Ayrton e Lucas, enquanto Nathan tem a concorrência de Tobio, Vitor Hugo, Victor Ramos e Jackson.

No ataque da seleção sub 20, Gabriel, o Gabigol, não conseguiu ter o mesmo rendimento que costuma ter com a camisa do Santos . Entretanto, deverá ter um papel importante na equipe paulista, assim como o lateral esquerdo Caju, outro que promete figurar em muitos jogos da temporada 2015.

Santista Gabriel em ação pela seleção
CBF/Divulgação
Santista Gabriel em ação pela seleção

Um dos poucos destaques do Brasil na competição foi Marcos Guilherme, artilheiro do time no torneio com quatro gols. O meia-atacante é titular absoluto do Atlético-PR  e promete crescer ainda mais até os Jogos Olímpicos.

O centroavante Thalles anotou três gols, mas esteve longe de apresentar a mesma boa forma que tem no Vasco. Malcom, também sem grandes atuações no Sul-Americano, é outro com moral no seu clube, o Corinthians.

Malcom, do Corinthians, camisa 20 da seleção
CBF/Divulgação
Malcom, do Corinthians, camisa 20 da seleção

A dupla Gre-Nal ajudou Gallo com um jogador cada. O Inter  cedeu o zagueiro Eduardo, ainda com poucas chances com a camisa colorada, e Wallace foi cedido pelo  Grêmio . O volante caiu nas graças de Felipão em 2014 e pode seguir atuando com regularidade nos próximos meses. Já o zagueiro Marlon, do Fluminense , terminou bem o ano passado e pode ser titular em 2015.

O trio de goleiros ainda busca espaço em seus clubes e não costumam jogar: Marcos (Fluminense), Georgemy (Cruzeiro) e Lucas (São Paulo). Outros jogadores do Brasil sub 20 que também esperam mais chances para mostrar serviço são Léo Pereira (Altético-PR), Auro (São Paulo), Lorran (Vasco), Thiago Maia (Santos), Eduardo Henrique (Atlético-MG), Gerson (Fluminense), Kenedy (Fluminense) e Yuri Mamute (Botafogo).

Único atleta de time do exterior, o meio-campista Lucas Evangelista, ex-São Paulo, não atua com regularidade pela Udinese. Desde quando chegou, em setembro de 2014, fez apenas quatro partidas pela equipe italiana, sendo titular em apenas uma.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.