Clube tem duas finais contra o Once Caldas, um clássico contra o Palmeiras e a eleição para presidente em sete dias

Corinthians joga duas decisões na Libertadores com um clássico contra o Palmeiras no meio
Marcos Bezerra/Futura Press
Corinthians joga duas decisões na Libertadores com um clássico contra o Palmeiras no meio

O que esperar do ano de 2015 do Corinthians ? A resposta para esta pergunta passa pelos acontecimentos dos próximos sete dias. Entre esta quarta-feira e a próxima, o clube vai viver um período de intensa disputa política com dois jogos que vão determinar até onde pode ir o sonho de conquistas na temporada. De quebra, ainda disputa o primeiro clássico contra o Palmeiras no novo estádio do rival. Tudo em uma semana. 

Nesta quarta-feira, em Itaquera, o Corinthians joga contra o Once Caldas, da Colômbia, por uma vaga no grupo 2 da Libertadores. Tenta construir um bom placar e levar vantagem para Manizales, onde jogará a volta no dia 11. Espera ter tranquilidade para enfrentar o Palmeiras, domingo, dia 8, sem tanta pressão e até poupar titulares. 

Galeria:  Em 16 jogos de brasileiros na 1ª fase da Libertadores, só um caiu. Relembre

"O Corinthians vai tomar a iniciativa. É necessário tomar a iniciativa. A característica da equipe é essa. Ela está buscando cada vez mais infiltrações, chegada na frente. Vamos buscar o resultado e alguma vantagem. Não pensar em não tomar gol e abrir mão de ser agressivo. Não dá. Até 2 a 1 é uma vantagem considerável", disse Tite em entrevista ao Sportv.

Corinthians recebe o Once Caldas em Itaquera. Veja como está o estádio 


Ele exige concentração máxima dos jogadores na partida desta quarta e ainda não definiu qual time vai escalar contra o Palmeiras no domingo. A viagem a Manizales não é das mais simples sob o ponto de vista logístico e talvez alguns jogadores sejam poupados do clássico para chegarem em melhor condição no jogo da volta.

Antes do clássico, no sábado, os sócios do clube vão eleger um novo presidente para o posto ocupado por Mário Gobbi por três anos. A oposição chegou a ter três candidatos, mas um deles, Ilmar Schiavenatto teve seu registro cancelado por falta de assinaturas de sócios. Os outros dois, Paulo Garcia e Roque Citandini, se uniram em torno do segundo, que será o único opositor de Roberto de Andrade na votação de sábado. 

Situação de Guerrero será definido somente depois das eleições do sábado
Daniel Augusto Jr./Agência Corinthians
Situação de Guerrero será definido somente depois das eleições do sábado

O resultado da eleição será determinante para alguns temas que estão tirando o sono do torcedor do Corinthians, em especial a renovação com Paolo Guerrero. O contrato do jogador se encerra em 15 de julho  e seus empresários se negam a negociar com Gobbi. Andrade e Citadini já disseram que pretendem manter o jogador, mas é provável que ele precise diminuir a pedida para seguir no clube. Uma reunião de Guerrero com a nova diretoria eleita já está previamente marcada para a próxima semana. 

Clássicos, eleições e Libertadores
A combinação clássico e decisões na Libertadores não é novidade no Corinthians. Há quatro anos, o clube esteve em situação semelhante e não saiu do 0 a 0 no jogo de ida contra o Tolima no Pacaembu. Perdeu o jogo da volta, foi eliminado da Libertadores, e alguns dias depois enfrentou o Palmeiras pelo Paulistão. Venceu e buscou se recuperar na temporada. Foi vice campeão paulista e levou o Brasileiro.

No ano seguinte, em fevereiro de 2012, o Corinthians enfrentou o São Paulo um dia depois do pleito que elegeu Mário Gobbi presidente. Venceu por 1 a 0 no domingo antes de viajar a San Cristóbal, na Venezuela, onde estreou na Libertadores contra o Deportivo Táchira.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.