Em entrevista ao jornal “Zero Hora”, Romildo Bolzan explica proposta pela necessidade da volta de emoção até o final do campeonato

O modelo de disputa do Campeonato Brasileiro  em pontos corridos (turno e returno), que está em vigor desde a temporada de 2003, já encontra um opositor declarado. O presidente do Grêmio , Romildo Bolzan, vem procurando dirigentes de outras equipes para tentar articular a volta do sistema de mata-mata, após uma fase de classificação inicial, que existia no futebol nacional até 2002.

O presidente do Grêmio, Romildo Bolzan, defende a volta do mata-mata no Brasileirão
Divulgação/Flickr Grêmio
O presidente do Grêmio, Romildo Bolzan, defende a volta do mata-mata no Brasileirão


Em entrevista ao jornal gaúcho Zero Hora, Bolzan disse que a falta de equilíbrio na disputa do título brasileiro, restrito a poucos times nos últimos anos, bem como a maior emoção na disputa até o final do torneio, motivaram a sua proposta.

“Lancei a ideia e teve uma boa aceitação. Se seguir como está, o futebol brasileiro vai ter uma diferença tremenda. Estamos propondo a volta do equilíbrio. Os playoffs permitem equilíbrio e motivação”, disse Bolzan.

Grêmio empresta Maxi Rodríguez à Universidad de Chile

O dirigente gremista disse que a proposta de mata-mata poderia ser com quatro ou oito clubes, sendo que este modelo seria definido após conversas entre os clubes interessados.  Outras pautas sugeridas por Bolzan são a volta da venda de bebidas alcoólicas nos estádios e a equalização dos contratos de jogadores e treinadores . “A volta da venda das bebidas alcoólicas melhoraria a situação financeira dos clubes, fornecendo mais uma fonte de renda”, disse Bolzan.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.