Desde 1954, o clube vive uma estranha tradição e sempre acaba a temporada sem troféus os anos terminados em 4

Sem títulos após três temporadas de conquistas, o Corinthians  ampliou uma maldição que chegou a seis décadas. Se a primeira metade da história do clube até aqui foi de vitórias nos anos terminados em 4, a história tem sido diferente desde os históricos triunfos de 1954.

Leia mais sobre o Corinthians no iG Esporte

A inauguração do Itaquerão, em maio deste ano, foi a grande
Rodrigo Gazzanel/Futura Press
A inauguração do Itaquerão, em maio deste ano, foi a grande "conquista" do Corinthians em 2014


Daquele ano em diante, a equipe do Parque São Jorge não ergueu nenhum troféu significativo com o número 4 no fim da data. A quase exceção foi a Copa Bandeirantes de 1994, que rendeu vaga na Copa do Brasil de 1995 - com título preto e branco -, mas não teve grande valor como conquista.

Em 1964, o Corinthians brigou pelo título paulista até a penúltima rodada, quando marcou quatro gols no Santos, mas levou sete e ficou fora da disputa. Dez anos depois, já em longo jejum, viu o pior acontecer perdendo para o arquirrival Palmeiras na decisão estadual. A temporada de 1984 foi mais uma de decepção, com a venda de Sócrates e a montagem, com a grana, do que pintava como um esquadrão. Virou "esquadrão de papel", com o sucesso restrito à teoria e nada além de um vice-campeonato paulista e de uma eliminação nas semifinais do Campeonato Brasileiro.

A Copa Bandeirantes de 1994 ficou longe de compensar a terceira decepção seguida diante do Palmeiras, que já havia castigado o rival no ano anterior e o venceu outra vez na decisão do Brasileiro. Uma década mais tarde, a temporada teve um quase rebaixamento no Paulista e uma campanha mediana no Nacional.

A maldição não ficou para trás em 2014, um ano de construção e reconstrução. Se comemorou a inauguração de seu estádio em Itaquera, a Fiel viu o time ter eliminações vergonhosas no Paulista e na Copa do Brasil. Em reformulação, a equipe só conseguiu uma vaga na próxima Copa Libertadores. Confira o desempenho do Corinthians nos anos terminados em 4:

1914
O primeiro ano da série é histórico para o clube, que conquista o primeiro título de sua história, na Liga Paulista de Futebol (LPF). Com uma campanha 100%, a equipe liderada por Neco chega ao título em novembro, com uma goleada sobre o Campos Elyseos.

1924
A equipe segue bem, fechando o primeiro tricampeonato de sua história. O título só chega, no entanto, em 11 de janeiro de 1925, com uma vitória por 1 a 0 sobre o Paulistano no Jardim América. O gol do triunfo é marcado por Tatu, aos 29 minutos do segundo tempo.

1934
É o primeiro ano de vacas magras na série 4. A temporada é um avanço em relação ao péssimo 1933, mas não dá grandes motivos de alegria para os torcedores, que ainda se acostumam ao fato de não ter Neco, o primeiro ídolo, defendendo o time dentro de campo.

1944
O único título é o do Torneio Início. O que chama a atenção na temporada é a contratação de Domingos da Guia, considerado por muitos o maior zagueiro da história da agremiação preta e branca.

1954
O ano é dos mais importantes da história alvinegra. Fechando um ciclo de conquistas bastante fértil, o Corinthians conquista o Torneio Rio-São Paulo, ao qual era dado muito valor e leva o Campeonato Paulista. O título do quarto centenário da cidade de São Paulo é definido contra o arquirrival Palmeiras, já em fevereiro de 1955.


1964
O time se aproxima dos dez anos de uma fila que ultrapassaria duas décadas. Mantém-se vivo na disputa do título estadual, mas acaba levando 7 a 4 do Santos na penúltima rodada, com quatro gols de Pelé e três de Coutinho, terminando a competição em terceiro lugar.

Rivellino foi eleito o culpado pela perda do título paulista de 74 e a torcida corintiana não queria mais ver o atleta no clube depois disso
Site oficial
Rivellino foi eleito o culpado pela perda do título paulista de 74 e a torcida corintiana não queria mais ver o atleta no clube depois disso


1974
É um dos mais dolorosos anos de toda a história do Corinthians. O time se anima com a possibilidade de encerrar um jejum de 20 anos, mas perde a decisão do Paulista para o Palmeiras. Rivellino - que reclama de falta no lance do título alviverde - é culpado pela derrota e escorraçado do clube.

1984
Sócrates promete permanecer se o Brasil voltar a ter eleições diretas para presidente, mas a emenda constitucional correspondente não passa no Congresso Nacional. O jogador é vendido, e o Corinthians monta um suposto ótimo time com o dinheiro. Não ganha nada.

1994
A pequena Copa Bandeirantes é conquistada sobre o Santos e dá vaga na Copa do Brasil, torneio que seria vencido em 1995. A temporada termina muito mal, no entanto, com a derrota para o arquirrival Palmeiras na decisão do Campeonato Brasileiro.

2004
Com Rivellino na direção de futebol, o Corinthians contrata de baciada nomes como Régis Pitbull e Adrianinho. Não é rebaixado no Campeonato Paulista com a ajuda do rival São Paulo e começa mal o Brasileiro. Futuro técnico histórico alvinegro, Tite chega para conduzir uma recuperação razoável no Nacional.

2014
A torcida vibra com a inauguração de seu sonhado estádio, palco da abertura da Copa do Mundo na zona leste de São Paulo. Em campo, o time dá pouco motivo para comemoração, com eliminações vergonhosas no Paulista e na Copa do Brasil. No Brasileiro, ganha vaga na fase prévia da Copa Libertadores.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.