Luxemburgo foi mantido no comando do rubro-negro e terá mais dinheiro para contratar reforços da sua confiança, segundo o presidente Eduardo Bandeira de Mello admitiu

Luxemburgo em treino do Flamengo
Gilvan de Souza/Flamengo
Luxemburgo em treino do Flamengo

O Flamengo terminou 2014 com Vanderlei Luxemburgo e vai começar 2015 com o mesmo treinador, que poderá montar o elenco com os nomes da sua confiança. Lembrando que o comandante assumiu o rubro-negro no final do mês de julho, com a equipe mal na tabela de classificação do Brasileirão, e teve que salvar o time do rebaixamento para Série B.

Confira a movimentação do mercado da bola entre os clubes brasileiros

O primeiro semestre da atual temporada teve o fracasso na Libertadores, com o Fla caindo ainda na fase de grupos e ficando atrás de Bolívar e León, mas não foi um desastre total porque a equipe conquistou o título do Campeonato Carioca superando o arquirrival Vasco na final, com direito a gol nos acréscimos do segundo tempo.

No segundo semestre, a performance no Brasileirão foi pífia, com a briga para não cair até as últimas rodadas e a modesta 10ª colocação no final da competição. Já na Copa do Brasil, o Flamengo foi até a semifinal e perdeu do Atlético-MG, que se sagraria campeão. Tudo isso com um elenco considerado modesto e com jogadores regulares.

Eduardo Bandeira de Mello, presidente do Flamengo, admite mais dinheiro em 2015
Alessandro Costa / Agência O Dia
Eduardo Bandeira de Mello, presidente do Flamengo, admite mais dinheiro em 2015

A expectativa é que Luxemburgo consiga deixar o Fla com a sua cara em 2015, contratando jogadores que podem ajudar melhor o time. E o próprio presidente Eduardo Bandeira de Mello admitiu que o dinheiro para reforços no ano que vem será bem maior do que o deste ano.

A arrecadação prevista com o programa de sócio-torcedor é R$ 37 milhões. Já a perspectiva com bilheteria é estimada em R$ 49 milhões. E, por fim, o patrocínio fechado com a Viton 44 vai render R$ 20 milhões aos cofres do clube em 2015. Com esses valores somados a outras fontes de receita, a previsão de gastos para o futebol profissional ficou em R$ 128 milhões, que é R$ 7 milhões a mais que 2014 - e isso inclui a busca por contratações de peso.

Por enquanto ainda foram poucas as perdas. Apenas Chicão deixou o elenco, enquanto Léo Moura, Erazo e Felipe podem sair. Chegaram o meia Arthur Maia, ex-América-RN, e o lateral-esquerdo Thallyson, que estava no ASA, e outros nomes são especulados, como os gremistas Matheus Biteco, Dudu e Pará, o atacante paraguaio Lucas Barrios e o atacante Vagner Love.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.