Terry e Fábregas marcaram os gols do Chelsea e time de José Mourinho chegou aos 42 pontos no Campeonato Inglês

O Chelsea entrou em campo no Britannia Stadium para enfrentar o Stoke City dividindo a liderança com o Manchester City, com os mesmos 39 pontos somados. Porém, bastou um minuto de jogo para Terry colocar o Chelsea em vantagem e começar a construir a vitória dos blues, que com os três pontos acumulados fora de casa, chegaram aos 42, mantendo a liderança do Inglês de forma isolada por mais uma rodada.

Confira a classificaçõa, jogos, notícias e artilharia do Campeonato Inglês

John Terry marca de cabeça e abre o placar para o Chelsea contra o Stoke City
Stu Forster/Getty Images
John Terry marca de cabeça e abre o placar para o Chelsea contra o Stoke City

Bem treinado por Mourinho, o Chelsea foi a campo com duas linhas de quatro bem montadas no meio-campo, o que fez o Stoke City ter poucas oportunidades no campo de ataque. Calculista na estratégia de jogo, o Chelsea administrou a vantagem construída no primeiro minuto com base na troca de passes, e só no segundo tempo assegurou a vitória com gol de Fabregas.

A vitória conquistada nesta segunda colocou o Chelsea três pontos à frente do Manchester City, atual campeão. Na sexta, a equipe de Mourinho recebe o West Ham, quarto colocado, no Stamford Bridge, enquanto o Stoke City viaja a Liverpool para enfrentar o Everton fora de casa em confronto direto por posições no meio da tabela.

Eficaz, Chelsea precisou de um minuto para ficar em vantagem no placar

Escalada por José Mourinho com algumas mudanças, como a ausência do brasileiro Oscar no time titular, a equipe do Chelsea foi a campo no Centro-Oeste da Inglaterra para encarar o Stoke City em jogo válido pela última rodada antes das festividades natalinas. Os blues entraram no gramado dividindo a liderança do Inglês com o atual campeão, com o mesmo número de pontos do Manchester City, mas não levaram muito tempo para ficar em vantagem.

No minuto inaugural de partida, logo na primeira investida ao campo de ataque, o Chelsea abriu o placar graças à persistência do capitão John Terry. Após cobrança de escanteio de Fabregas, o defensor trocou empurrões com o adversário e conseguiu se dar melhor no jogo de corpo para subir e testar para as redes, abrindo o placar logo após o apito inicial.

Passado o choque inicial, a equipe do Stoke City manteve o sistema de jogo atentando-se à defesa para não ter a desvantagem ampliada. Na tentativa de recuperar o ânimo, os mandantes ameaçaram o gol de Courtois apenas aos 20 jogados, quando Walters arriscou de fora e obrigou o goleiro belga a espalmar no reflexo após a bola desviar na zaga.

No mano a mano, porém, a defesa do Stoke levava a pior frente à velocidade do Chelsea, que explorava o jogo com William e Hazard aberto pelas pontas. Contudo, foi em uma jogada pelo meio da defesa adversária que os visitantes quase ampliaram o marcador. Fabregas encontrou Diego Costa por entre a zaga e, após receber lançamento, o atacante disparou em direção à área antes de bater no canto direito do goleiro e ver a bola passar rente à trave no último lance de perigo da primeira etapa.

Visitantes aproveitaram nervosismo adversário para confirmar vitória

A segunda etapa de jogo aconteceu de maneira sonolenta. Com as linhas muito bem postadas no gramado, o Chelsea conseguia preencher todos os espaços, não dando chances ao time mandante. A dupla de volantes formada por Mikel e Matic conseguia conter os avanços do Stoke City, que só voltou a chutar contra o gol de Courtois com 25 minutos de jogo.

Os blues, conformados com a vitória simples por garantir a liderança isolada, preferiram conservar a posse da bola com base na troca de passes, o que, por vezes, irritou os atletas do Stoke. O nervosismo, aliado à preocupação por estar atrás do placar, foi o que bastou para frear a criatividade dos mandantes, que acabaram apelando para as faltas na tentativa de conter os ataques adversários.

O esforço, porém, não teve resultado positivo. Quando o relógio chegou a marca dos 33 minutos, o Chelsea decretou a vitória com Fabregas. O espanhol passou de garçom a finalizador e recebeu de Hazard dentro da área para complementar para o fundo das redes. O camisa 4 ainda contou com a falha do goleiro Begovic, que não conseguiu espalmar e viu a bola passar por debaixo do braço.

Nos dez minutos finais, Diego Costa ainda teve oportunidade para ampliar o placar, mas perdeu chance cara a cara com Begovic após receber livre na grande área. Na sequência do lance, o espanhol foi substituído por Drogba, que atuou nos minutos finais orientando o posicionamento do time dentro de campo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.