Português não quis cumprimentar o presidente da Uefa e o ignorou após receber a medalha pelo título do Mundial

Cristiano Ronaldo foi campeão mundial de clubes com o Real Madrid , neste sábado, mas deixou o estádio de Marrakech sem esconder frustrações pessoais. O português não marcou gols em nenhum de seus dois jogos no torneio, recusou-se a dar entrevistas e expôs sua irritação com Michel Platini ao não cumprimentar o presidente da Uefa.

Cristiano Ronaldo não quis dar entrevista
AP
Cristiano Ronaldo não quis dar entrevista

Leia também:  Real Madrid passa fácil pelo San Lorenzo e vira campeão do mundo pela quarta vez

O atacante ignorou o dirigente logo após receber a medalha de campeão. Cumprimentou efusivamente o presidente de seu clube, Florentino Pérez, e aproveitou que Platini conversava com o técnico do Real Madrid, Carlo Ancelotti, para não dar a mão ao francês. O presidente da Uefa ficou olhando para o jogador, que nem lhe virou o rosto.

Jornais vibram com o título mundial do Real Madrid

Pouco antes, ao receber o troféu de segundo melhor jogador da competição, Cristiano Ronaldo não escapou de dar a mão a Platini, já que só ele estava no palco para cumprimentar as autoridades. O português, no entanto, deixou claro que apenas cumpria um protocolo, com um rápido aperto de mãos sem trocar olhares com o francês.Platini irritou o astro no mês passado ao declarar que o goleiro alemão Manuel Neuer deveria ser eleito o melhor do mundo em 2014 por ter vencido a Copa do Mundo, diferentemente de Cristiano Ronaldo e do argentino Lionel Messi, seus concorrentes. O Real Madrid divulgou nota de repúdio exigindo neutralidade do presidente da Uefa e dizendo que seu atacante seria "merecedor, mais do que nunca" do prêmio.

Sem ir além de assistências na goleada sobre o mexicano Cruz Azul na semifinal, Cristiano Ronaldo deixou clara sua frustração por não fazer gols a cada chance que perdia diante do goleiro Torrico, do San Lorenzo, na decisão. Saiu do estádio recusando-se a dar entrevistas, como já tinha feito na partida anterior.

A única manifestação do português ocorreu com fotos sua com o troféu do Mundial, sendo uma sozinho, outra ao lado dos também portugueses Pepe (brasileiro naturalizado) e Fábio Coentrão e também com o resto do time quando Casillas ergueu a taça. "Mais um troféu importante para o time. O Mundial de Clubes é nosso. Hala Madrid!", limitou-se a escrever o jogador, em inglês.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.