Zagueiro do São Paulo retornou ao país depois de ficar preso por três anos. Hoje, ele se diz arrependido e mudado

Liberado da prisão após cumprir dois terços da pena por ter incendiado a própria casa, na Alemanha, o zagueiro Breno admitiu o crime em entrevista veiculada pela TV Globo neste domingo e gravada na última semana, enquanto ele se preparava para retornar ao Brasil.

Leia também:  São Paulo tenta convencer Rogério Ceni a revezar com Denis em 2015

Zagueiro Breno vai ao CT do São Paulo e prepara retorno ao futebol
Rubens Chiri/saopaulofc.net
Zagueiro Breno vai ao CT do São Paulo e prepara retorno ao futebol

"Foi um erro", disse o jogador de 25 anos, que, ainda preso, assinou contrato com o São Paulo  (clube que o revelou) até outubro de 2015.

O crime ocorreu em setembro de 2011, período em que ele estava afastado no Bayern de Munique, após enfrentar seguidas lesões. A perícia constatou que o incêndio não havia sido acidental, mas sim provocado pelo próprio brasileiro, depois de consumir grande quantidade de álcool.

"Entra bebida em jogo, uma coisa que hoje já coloquei na cabeça que não coloco nem mais um pingo na boca", falou Breno, agora livre, três anos depois. "Não tenho medo, vergonha de nada, porque sou pai de família. Eu que cuido da minha família, minha esposa. Volto (ao Brasil) de cabeça erguida".

Relembro outros casos de esportistas que tiveram problemas com a Justiça:

O retorno ao Brasil se deu na quinta-feira passada. Já no dia seguinte, ele visitou o CT da Barra Funda, reviu velhos conhecidos e recebeu a programação para seguir até 5 de janeiro, quando se apresentará de fato para iniciar os trabalhos na equipe em que foi campeão brasileiro de 2007, despertou interesse de grandes clubes e se transferiu para a Europa.

"Eu não era maduro, era ainda um garoto, pode-se dizer assim. Nesse tempo que passei, aprendi muito, lá dentro principalmente, porque você tem várias situações de prisioneiros. Antes de fazer uma coisa errada, eu penso duas vezes. Não vale a pena", salientou.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.