Tamanho do texto

Clube carioca vai disputar a Série B do Brasileiro no ano que vem e deverá receber seu estádio para arrecadar mais receitas e conseguir montar um time inteiro para temporada

O ano de 2014 para o Botafogo  começou de maneira bastante promissora, com a equipe voltando à Libertadores após 18 anos de ausência e passando pelo Deportivo Quito, do Equador, na fase preliminar com uma goleada convincente dentro do Maracanã.

Confira como está a movimentação do mercado da bola nos times do Brasil

A euforia, porém, acabou ainda na fase de grupos da competição continental, onde o time carioca ficou na lanterna e foi eliminado. A performance pífia também na disputa do estadual era um anúncio do pior, que viria no Brasileirão. E não deu outra, com o segundo rebaixamento do Botafogo em toda história.

Carlos Eduardo Pereira foi eleito o novo presidente do Botafogo
Carlos Moraes / Ag. O Dia
Carlos Eduardo Pereira foi eleito o novo presidente do Botafogo

Para 2015, o clube espera aprender com os erros cometidos neste ano e duas das principais esperanças para disputa do Carioca, Copa do Brasil e Brasileirão são a liberação do Engenhão - interditado por problemas na cobertura  - e o novo comando, já que Carlos Eduardo Pereira foi eleito presidente no mês passado.

Em 2014, o Bota começou a temporada com o inexperiente técnico Eduardo Húngaro. Já para a temporada que vem, o experiente Renê Simões estará à frente do elenco. Como o próprio presidente eleito admitiu, aconteceram distanciamentos, perda de comando e ocupação de espaços com pessoas apadrinhadas do ex-presidente, sem conseguir manter o modelo profissional funcionando e que culminou na incapacidade de quitar salários.

Sem verba suficiente em caixa e ainda sem saber se a Guaraviton continuará patrocinando o clube na próxima temporada, o Botafogo terá que se contentar com reforços modestos e um time barato para tentar retornar à elite nacional. Até porque o elenco, atualmente, está enxuto com a dispensa de muitos atletas.

Logo após o rebaixamento para Série B, foram liberados nada menos que 18 nomes: Alex, Gabriel, Anderson, Bruno Corrêa, Bolatti, Carlos Alberto, Ferreyra, Hygor, Junior Cesar, Mario Risso, Maikon, Ramírez, Rogério, Rodrigo Souto, Ronny, Wallyson, Yguinho e Zeballos. Além de Edilson, Emerson Sheik, Bolívar e Julio Cesar, que já haviam deixado o clube ainda na disputa do Brasileirão.

Assim, a busca por reforços será para todas as posições. Retornam o lateral direito Gilberto, que estava no Internacional, e o atacante Henrique, que jogou no Bahia.

Engenhão será devolvido ao Botafogo em 2015
Uanderson Fernandes / Agência O Dia
Engenhão será devolvido ao Botafogo em 2015

E o dinheiro?

Uma das alternativas para arrecadar capital é o Engenhão. A casa do clube depois dos Jogos Pan-Americanos de 2007 passou por reformas e deve ser entregue até o mês de março, fazendo com que o Botafogo tenha condições de alavancar o projeto sócio-torcedor. Além disso, o estádio tem potencial para gerar outras receitas, como negociar os naming rights para alguma empresa privada.

Antes da interdição do estádio, a diretoria já tinha praticamente acertadas as vendas do nome, um patrocínio com a Caixa e um espaço de camarotes, mas as negociações foram adiadas. Desde quando foi fechado para reforma, em março de 2013, o Botafogo deixou de arrecadas algo em torno de R$ 40 milhões, segundo o próprio clube informou.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.