Goleiro do Santos foi hostilizado por alguns torcedores gremistas, que o xingaram de macaco em Porto Alegre

Aranha é premiado na TV Gazeta
Fernando Dantas/Gazeta Press
Aranha é premiado na TV Gazeta

Aranha recebeu um dos principais prêmios do Troféu Mesa Redonda. O goleiro do Santos levou para casa o Troféu Constantino Cury, foi aplaudido de pé na festa oferecida pela TV Gazeta e comemorou o reconhecimento por sua ação na luta contra o racismo.

Goleiro Aranha recebe prêmio de direitos humanos por enfrentar o racismo

"Esta homenagem vem carregada de dois sentimentos. O primeiro é de tristeza e decepção porá uma coisa que não cabe mais. Mas também há um sentimento de alegria pelo reconhecimento, por estar aqui como uma das pessoas que fizeram coisas boas no campeonato", afirmou.

O jogador ficou marcado por um gesto feito em partida contra o Grêmio, em Porto Alegre, pela Copa do Brasil. Hostilizado por parte da torcida local com gritos como "macaco" e apontou as manifestações racistas que acabaram eliminando a formação gaúcha da competição.

Confira outros casos de racismo no futebol:

Homenageado também pela Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República (SDH/PR), Aranha disse que guardará com carinho o Troféu Constantino Cury. O prêmio tem esse nome em honra àquele que esteve por mais de 30 anos no corpo diretivo da Fundação Cásper Líbero, reconhecido por sua humanidade.

O guarda-metas espera que sua atitude ajude a minimizar as manifestações racistas ainda frequentes nos estádios de futebol. "Pelo que senti, foi boa a resposta que tive. Exigiu coragem. É bom quando boas atitudes são reconhecidas. Isso fortalece muito", concluiu.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.