Vagner Lombardi, candidato à vice presidente da chapa "Pense Novo Santos", disse que santista se sentiu frustrado com o cancelamento e aponta outros problemas durante votação. Coordenador revela opinião de José Carlos Peres

Após a decisão de suspender as eleições para a escolha do novo presidente do Santos , militantes e candidatos das cinco chapas continuaram em frente à sede da FPF (Federação Paulista de Futebol) incrédulas com a situação ocorrida na manhã deste sábado. Depois de uma das urnas receber voto duplicado, o problema parece ir muito além. Segundo Vagner Lombardi, candidato a vice na chapa de Orlando Rollo (Pense Novo Santos), houve fraude na Vila Belmiro e lista com os nomes de associados apresentavam erros.

Seguranças retiram urna após denúncia de fraude nas eleições do Santos
Ricardo Saibun/ Gazeta Press
Seguranças retiram urna após denúncia de fraude nas eleições do Santos

Leia também : Eleição para novo presidente do Santos é adiada após voto em duplicidade

"É frustrante ter de passar por isso. A gente vem trabalhando para essa eleição há bastante tempo, tem a parte psicológica, o desgaste físico, e aí você fica sabendo que pessoas fraudaram as eleições em Santos e vai ter de acontecer tudo de novo. É complicado. A parte pior de todas é que os sócios que estavam aqui, mais de 400 votos computados, algumas não puderam exercer o seu direito. Tinha de gente de Brasília, Curitiba...É lamentável", disse Lombardi ao iG Esporte .

Cinco candidatos disputam o cargo de presidente no Santos. Conheça-os

Além de prever a queda no número de votantes na capital paulista, Lombardi aponta outros acidentes. "Estou indo para o litoral, vou me encontrar com o Rollo para gente o que vamos fazer. Até onde a gente sabe, não teve problemas só em uma urna. Tiveram problemas em outras urnas, e outros além desse (do voto duplicado). Tinha sócio nosso que estava apto a votar e quando foi olhar as listas, em uma estava com o nome errado e outra número (da carteirinha) incorreto. Como a pessoa que está apto a votar, em dia com a mensalidade, tem problema na listagem? Acredito que teremos uma semana de muito trabalho para poder resolver isso para a semana que vem. Pelo meu entendimento, segundo o estatuto, faltam nove dias para ser obrigado a ter a eleição, porque é obrigado ocorrer até a primeira quinzena de dezembro".

Assista a declaração do presidente do Conselho Deliberativo


Coordenador de campanha de José Carlos Peres (da chapa Santos Vivo), Iliucha Valle, viu o adiamento do pleito uma surpresa. "Foi surpresa. Achamos essa atitude (da suspensão) foi precipitada aos olhos de quem está aqui em São Paulo, porque aqui não aconteceu absolutamente nada. A gente não entendeu a intensidade do que aconteceu lá. Como a Assembleia é de Santos, o que acontece em Santos replica para São Paulo. Não temos o poder de decisão. A gente tem que seguir o que vem de Santos. Houve um momento de mais tensão quando teve que comunicar, porque tínhamos muita gente que veio de fora e ficou triste. Mas faz parte de um processo democrático e temos de aceitar, não tem o que fazer".

Iliucha ainda revelou que Peres, que estava em Santos durante a confusão, não queria a anulação das eleições. "O Peres está tão indignado quanto a gente aqui em São Paulo. Ele não queria que a eleição fosse cancelada, porque teve muitas pessoas investindo nada sua ida para lá (Santos). Ele pediu que tivesse uma decisão um pouco mais amena do que essa questão drástica de cancelamento. Ele está tranquilo, pois sabe das responsabilidades dele como candidato à presidência e vai acatar a decisão do clube".

Os clubes esperam que o presidente do Conselho Deliberativo, Paulo Schiff, convoque os cinco candidatos para decidir o novo pleito, marcado para o próximo sábado, das 10h às 20h.

Torcedores chegam para votar, mesmo com eleição suspensa

Mais de duas horas depois da suspensão da eleição, sócios do Santos ainda chegavam à sede da FPF para votar. Todos eles foram surpreendidos com os portões fechados da federação e a pouca movimentação que estava na rua. Um desses casos foi de Ricardo Braido, que viajou de Campinas para capital, para escolher o futuro presidente do clube.

"Eu não sabia. Vinha recendo emails de candidatos e inclusive hoje pela manhã recebi dizendo que a votação era hoje. Acho que o Santos precisa tornar as coisas mais claras e profissionais. Eu nunca vi em lugar nenhum uma votação ser cancelada no dia. É uma falta de respeito com os associados que vem de outros lugares votar", disse o empresário de 36 anos à reportagem.

Braido também não sabe se conseguirá votar no próximo fim de semana. "Por amor ao Santos eu volto, mas eu tenho outros compromissos marcados e agora vou ver o que posso fazer".

Segundo o estatuto do Santos, a eleição precisa acontecer obrigatoriamente até a primeira quinzena de dezembro. O clube só divulgou a suspensão em seu site oficial por volta das 15h30.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.