Tamanho do texto

"Não posso comentar sobre algo que é ficção ou estupidez", disse Alexei Matyunin a um site russo

Reuters

Hulk em ação pelo Zenit: racismo
Epsilon/Getty Images
Hulk em ação pelo Zenit: racismo

O árbitro russo Alexei Matyunin, acusado pelo atacante Hulk de tê-lo ofendido racialmente em partida do Campeonato Russo no último fim de semana, negou nesta segunda-feira ter feito qualquer ofensa contra o jogador.

"Não posso comentar sobre algo que é ficção ou estupidez", disse Matyunin ao site russo Sport Express . "No entanto, é óbvio que isso se parece com algum tipo de jogo. É como uma pré-escola apenas com crianças bobas irritadas. É quase como se esse comportamento manipulativo fosse planejado. Alguém pensou nisso porque era do seu interesse".

Caso Aranha fica sem julgamento: Falta consciência negra ao Judiciário, diz OAB

"Eu não acredito que Hulk possa ter feito esse tipo de reclamação, já que nós dois sabemos que nada aconteceu. Os dois times e todos os jogadores são testemunhas", acrescentou.

Racismo no futebol: Brasil debate penas, Itália indica caminho contrário

"Acusar alguém de racismo é muito sério. É uma ofensa criminal. É preciso que haja motivos sérios para um caso e provas. Quero dizer que essa calúnia planejada não é menos do que um crime. Depois disso, eu penso em talvez ir aos tribunais", afirmou.

Em entrevista à Reuters por telefone no domingo de sua residência na Rússia, Hulk disse que o árbitro o ofendeu racialmente durante uma discussão em campo na partida em que o Zenit São Petersburgo, time do brasileiro, perdeu fora de casa por 1 x 0 para o Mordovia, no Start Stadium, pela liga russa.

Hulk contou que foi reclamar com o árbitro da "cera" do time adversário e passou por uma situação "muito desagradável".

"Eu fui falar com o árbitro do jogo numa boa, com educação, e toquei nele normalmente para falar com ele, e ele virou e disse, com arrogância, para eu não encostar nele”, afirmou Hulk na entrevista. “Eu pedi calma, mas ele começou a ficar nervoso, e eu, na quentura do jogo, falei: Você é racista?" O árbitro, segundo o jogador, respondeu: “Sou, não gosto de você e não gosto de preto.”

Segundo o jogador, de 28 anos, a discussão em inglês aconteceu no começo do segundo tempo.

Informado nesta segunda, por meio de sua assessoria de imprensa, sobre as declarações do árbitro Matyunin negando as acusações, Hulk disse, por meio da assessoria, que mantém sua denúncia de racismo.

O jogador disse ainda que levou o problema à diretoria do Zenit e que aguarda uma ação do clube, de acordo com seu assessor de imprensa.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.