Tamanho do texto

Meia entende que ajudou na evolução do clube do Morumbi que planeja uma "temporada de 2015 cheia de alegrias"

O meia Kaká não conseguiu conquistar um título na rápida segunda passagem pelo São Paulo , mas deixa o clube com o respeito de colegas e da torcida. O jogador, que disputará no domingo sua última partida pelo Tricolor antes de partir para os Estados Unidos, acredita que ajudou o clube paulista nestes poucos meses em que ficou.

Confira a classificação atualizada, artilharia e notícias do Brasileirão

"O que ficou e que eu realmente gostaria que ficasse é que futebol não é só bola. Meus números ficaram abaixo dos que eu tive em todos os lugares por onde passei, mas acho que realmente agreguei alguma coisa muito boa ao São Paulo. Foi uma troca de valores, porque o São Paulo também foi importante para mim", afirmou o meia, para completar.

"Ficou um grupo forte, unido. É claro que, no final, a cereja do bolo é o título, todos gostam de ter o nome reconhecido, sua foto no CT. Mas o legado que fica, o que falei a eles, é que realmente deem continuidade a isso. Daqui a dez, 15 anos, vou ligar para esse grupo e chamar cada um deles de amigo", ponderou.Nos vestiários do Morumbi, depois da partida, o atleta recebeu a camisa de Rogério Ceni de presente, chorou e ainda iniciou uma guerra com bolo de aniversário de Muricy Ramalho, no clima de descontração.

Ceni diz que não sabia sobre renovação: “Interesse do clube era o principal”

Kaká voltou ao Tricolor em julho, no decorrer da Copa do Mundo, e é apontado como um dos responsáveis pela consolidação da equipe, que se mostrou muito mais segura do que no primeiro semestre. O jogador lembra que outros reforços também foram determinantes para o São Paulo alcançar o segundo lugar no Brasileirão.

"Cheguei com outros jogadores, como Kardec, Toloi, Michel Bastos... Esse grupo foi se formando ao longo do campeonato. A semente foi plantada, e acho que o São Paulo tem tudo para ter um 2015 de alegrias", afirmou.

O empate por 1 a 1 contra o Figueirense , no domingo, marcou a despedida de Kaká do Morumbi, já que a última rodada do Brasileirão será na Arena Pernambuco, contra o Sport, no sábado. Ao deixar o gramado do estádio Cícero Pompeu de Toledo, o meio-campista recebeu aplausos dos torcedores, em uma reação bem diferente do fim da primeira passagem, quando era contestado pelos tricolores.

"Em nenhum momento, tinha amargura da minha parte de não querer voltar. Sempre deixei claro que, se voltasse, seria para jogar no São Paulo. A forma como fui recebido, com boa parte do estádio lotado, com o torcedor feliz pela minha volta, mostrou que não tinha ressentimento da parte de ninguém. Claro, essa despedida é muito melhor do que em 2003. Sair realmente aplaudido, com o torcedor gritando meu nome, foi uma emoção muito diferente de todas as outras que tive no futebol. Foi realmente gratificante", completou.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.