Tamanho do texto

O técnico Abel Braga tem dúvidas na escalação após alguns jogadores reclamarem de dores musculares

D'Alessandro em treino do Inter
Alexandre Lopes/Site Oficial
D'Alessandro em treino do Inter

A escalação do Internacional para a partida deste sábado, contra o Palmeiras, pela penúltima rodada do Campeonato Brasileiro, está cheia de lacunas. Vários jogadores acusaram dores no treino de quarta-feira, virando dúvida para o confronto. Para aumentar o mistério, o técnico Abel Braga fechou a atividade, realizado na manhã desta quinta-feira, no Beira-Rio.

As dúvidas começam na defesa. Fabrício, que sentiu o joelho direito e deixou o treino mais cedo na quarta, não teve apontada lesão, e tem boas chances de jogar. No meio, sentiram dores o volante Bertotto e os meias Jorge Henrique e Alan Patrick. Mais à frente, a questão é se o atacante Nilmar terá ou não condições de jogo. Em nenhum dos trabalhos abertos da semana ele figurou até agora, o que indica um favoritismo de Rafael Moura para começar a partida.

Veja como está a classificação do Campeonato Brasileiro

O duelo contra o Palmeiras pode definir a classificação colorada para a próxima edição da Libertadores. Com 63 pontos, o time de Abel Braga garante vaga de forma matemática se vencer o time paulista. Por isso, o apelo para o comparecimento de público é enorme. Na manhã desta quinta, a torcida esgotou os ingressos de cadeiras inferiores e superiores, formando longas filas em volta do Beira-Rio. Restam apenas entradas para os lugares mais caros do estádio.

A expectativa da direção colorada é de nova quebra de recorde de público do novo Beira-Rio em jogos do Internacional. Desde a Copa do Mundo, o maior número de torcedores presentes ocorreu justamente na vitória do último sábado, sobre o Atlético-MG, com 38.066 espectadores. O jogo com o Palmeiras está marcado para as 19h30, horário de Brasília, deste sábado.

Caso Petros

Para o capitão do Internacional, o "caso Petros" trouxe ao menos um ponto positivo para o futebol gaúcho: o fato de o Colorado e o rival Grêmio terem deixado as diferenças de lado e se unirem contra o Corinthians no Superior Tribunal de Justiça Desportiva. Ainda assim, D’Alessandro lamentou a decisão do STJD de absolver o clube paulista, o qual, segundo o argentino, é constantemente favorecido nas decisões fora de campo.

Corinthians é absolvido em caso Petros e provoca rivais do Sul

"Desde que cheguei aqui aconteceram muitos fatos fora de campo, e o Corinthians é sempre favorecido. Muitas vezes nem adianta ir ao tribunal, você já sabe o que vai acontecer. Na final da Copa do Brasil (de 2009, entre o Inter e o Timão, quando D’Ale foi expulso) eu fui lá cinco vezes, suando, passando vergonha, acho que só porque era o Corinthians. O ponto bom foi que Inter e Grêmio se uniram. Isso não pode ser esquecido", comentou D’Alessandro, em entrevista coletiva na manhã desta quinta, no Beira-Rio.

Apesar das críticas, o argentino reconhece que a decisão do tribunal de absolver o Timão pouco interfere na condição colorada dentro do Brasileirão. Caso derrote o Palmeiras neste sábado ou o Figueirense no dia 7, o Inter garantirá sua vaga na próxima Libertadores independente de qualquer outro resultado.

"Não dependemos do Corinthians, mas só de nós mesmos. Não entramos no problema jurídico, burocrático. Não vou falar do Corinthians. O Inter tem um histórico negativo em decisões fora do campo, mas não vou entrar nisso, não é esta a minha função", completou.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.