Tamanho do texto

Após a goleada sofrida para o Atlético-MG e a eliminação da Copa do Brasil, goleiro do Corinthians disse que alguns jogadores não estavam preparados para atuar no clube

Cássio, goleiro do Corinthians
Daniel Augusto Jr./Agência Corinthians
Cássio, goleiro do Corinthians

Um mês e dez dias depois de criticar publicamente o elenco do Corinthians , o goleiro Cássio mudou de opinião. O jogador já não vê "gente que não está preparada" para atuar no clube entre os seus companheiros, conforme declarou após a equipe ser traumaticamente eliminada da Copa do Brasil pelo Atlético-MG.

Confira classificação, jogos, notícias e artilharia do Brasileirão

"Falei aquilo de cabeça quente, da boca para fora. Foi um momento meu, de desabafo. Estava exaltado. Isso que eu disse não serve para ninguém aqui. Já me desculpei", comentou Cássio, na manhã desta quarta-feira, mexendo inquietamente os dedos sobre a mesa diante de si.

Em um momento de cabeça fria, o elenco do Corinthians passou a ser merecedor de elogios da boca para dentro. O time está muito próximo de confirmar classificação matemática para a Copa Libertadores da América após ficar oito rodadas sem perder no Campeonato Brasileiro.

Cássio aproveitou a fase favorável para elogiar o plantel que um dia criticou. "O time desse ano já é bem competitivo", avisou, ao abordar a possibilidade de o Corinthians receber reforços para 2015. "Isso é uma coisa que automaticamente acontece. Mesmo quando ganhamos a Libertadores e o Mundial, chegaram novos jogadores. Só que esse grupo já passou por uma reformulação e deverá dar uma resposta ainda melhor no ano que vem", apostou.

Apesar de "muito feliz" com a oportunidade iminente de disputar a Libertadores na próxima temporada, Cássio ainda não esqueceu completamente a inesperada derrota para o Atlético-MG. Em seu balanço de final de temporada, ele citou a queda na Copa do Brasil como "o ponto negativo".

O Corinthians de Cássio terá duas partidas para se mostrar competitivo antes de sair de férias. A equipe encerrará a sua participação no Campeonato Brasileiro contra o Fluminense, neste domingo, no Maracanã, e diante do Criciúma, em casa, no fim de semana seguinte.

Cássio diz confiar no trabalho de Mano, mas ressalta relação com Tite

Cássio é gaúcho como Mano Menezes e Tite. E, assim como os seus companheiros, prefere não tomar partido entre os dois quando lhe perguntam sobre o melhor treinador para o Corinthians em 2015.

"A mudança ou não de técnico não depende de nós. Nem gostaria de me meter nessa situação", adiantou, sem pistas sobre o assunto. "Ninguém tem certeza de nada. Existe muita especulação, mas os jogadores não falam sobre isso. A gente já tem um treinador até o final do ano. Independentemente de ele ficar ou não, procuramos fazer o nosso melhor."

De qualquer forma, Cássio tem elogios tanto para Mano quanto para Tite. "Respeitamos muito o nosso treinador atual. Tentamos acatar o que ele pede. Acreditamos no trabalho dele. Se não fosse assim, jamais estaríamos brigando pela Libertadores no Campeonato Brasileiro", argumentou.

As palavras são ainda mais afáveis para Tite, com quem o goleiro tem uma relação de longa data. Foi o antigo comandante que o transformou em titular do Corinthians durante a Copa Libertadores da América de 2012, ano que acabou com Cássio eleito o melhor jogador do Mundial de Clubes.

"É claro que tenho um respeito enorme pelo Tite. Sempre deixei isso bem claro. Ele é um treinador vencedor. Se o Mano não ficar, com certeza quero trabalhar com alguém campeão", avisou.

Enquanto Cássio guarda para si as comparações mais detalhadas sobre os trabalhos dos dois profissionais, Mano Menezes tem feito questão de torná-las públicas. O técnico reavivou as suas chances de renovar contrato com o Corinthians com a iminente classificação para a Copa Libertadores da América e gosta de lembrar que o time não alcançou o mesmo objetivo em 2013, sob o comando de Tite.

Cássio sabe que os resultados poderão favorecer Mano. "Ganhando, a gente exerce uma influência. Em um time grande, se os jogadores não rendem, o técnico geralmente é trocado. Mas, mesmo que exista uma mudança, o fator positivo é que a grande maioria do elenco será aproveitada no ano que vem", ponderou.

O presidente Mário Gobbi pretende definir o técnico do Corinthians de 2015 após conversar com os candidatos à sua sucessão. Ele mudou de ideia em relação a deixar a decisão para depois da eleição, marcada para fevereiro, para não prejudicar o planejamento do time para a disputa da Libertadores.

"É importante que isso se resolva antes da pré-temporada. Até porque a gente precisa saber se terá o mesmo preparador físico, a mesma linha de trabalho. Devemos entender o que acontecerá taticamente, o que o técnico pensa para o ano. E, desta vez, não haverá mais a parada da Copa do Mundo para melhorar, se alguma coisa estiver errada", palpitou Cássio.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.