Sem tempo para lamentação, treinador pediu que o elenco seja valorizado, e projetou bons frutos para o clube com relação às categorias de base

Sentindo-se orgulhoso pela atuação da equipe que, mesmo sem seis titulares e com doze jogadores da base relacionados, arrancou um empate diante do Atlético-MG fora de casa , Argel ressaltou a necessidade de se valorizar o elenco do Figueirense. Confiante na capacidade do grupo, o treinador parabenizou a entrega dos jogadores durante os noventa minutos.

Confira a classificação e os próximos jogos do Brasileirão

Questionado sobre o andamento da partida, Argel afirmou que não se sentiu ameaçado pela pressão do Galo, reforçando que, no futebol, mais vale aquele que faz o gol do que aquele que conserva a posse da bola. "Essa pressão é uma pressão falsa, que roda, roda e não acontece nada. No primeiro tempo, o Tiago fez uma defesa. Depois disso, só bolas alçadas na área. Eles conseguiram controlar o jogo, mas não adianta ter posse de bola e não fazer o gol", comentou. "No primeiro tempo, não tivemos posse de bola, mas fomos para o vestiário à frente do placar", prosseguiu.

Sem tempo para lamentação, Argel pediu que o elenco catarinense seja valorizado, e projetou bons frutos para o clube com relação às categorias de base. "Quero que as pessoas valorizem essa garotada e valorizem o clube, que hoje veio para Minas com doze garotos. Não vamos lamentar por quem não veio, não é desta forma que a gente trabalha. Apostamos no grupo e confiamos nos atletas. A molecada que está vindo tem muita qualidade e precisa ser lapidada", garantiu.

Ainda com o sinal de alerta ligado, por conta da distância de quatro pontos para a zona de rebaixamento, Argel afirma que não quer fazer contas, mas acredita na qualidade do elenco para permanecer na elite do futebol brasileiro. "Não dá para fazer contas depois de um jogo, até porque não sou matemático (risos), meu trabalho é dentro de campo. Atualmente, estamos quatro pontos longe do rebaixamento e vamos para mais um jogo decisivo na quarta em que precisamos buscar o resultado positivo", alertou o técnico, projetando o confronto direto contra o Botafogo, no Rio de Janeiro.

Sem comentar a escalação que levará ao Rio de Janeiro, Argel avisou sobre a possibilidade de contar com o retorno de peças importantes. "Ainda não sei a equipe para o próximo jogo, mas acho muito difícil Giovanni Augusto e Rivaldo serem liberados. Provavelmente, teremos a volta de Marco Antônio e Thiago Heleno", declarou o treinador.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.