São Paulo e o antigo time do atacante duelam no clássico paulista deste domingo no Campeonato Brasileiro

Alan Kardec (direita) é aitular absoluto do ataque do São Paulo
Getty Images
Alan Kardec (direita) é aitular absoluto do ataque do São Paulo

Educadamente, Alan Kardec mostrou nesta semana que não aguenta mais falar sobre sua saída do Palmeiras para o São Paulo . Às vésperas de novo encontro com o ex-clube, o atacante deixou claro que não lhe interessa mais tratar da polêmica transferência, tema recorrente desde que ele passou a vestir a camisa tricolor, na metade do ano.

Leia mais sobre o Campeonato Brasileiro no iG Esporte

"Na verdade, eu já tinha até apagado esse assunto", disse o jogador, no meio de semana. "Tenho muito carinho pelo torcedor palmeirense, pela maneira como me tratou no período em que estive lá. Tenho eterna gratidão pelo clube, que abriu as portas para mim. Mas esse assunto do Palmeiras já se encerrou".

Leia também: Diretoria deixa decisão sobre aposentadoria nas mãos de Ceni

O assunto começou depois que o Palmeiras recuou em uma oferta salarial no momento de comprá-lo do Benfica e reformar seu contrato. Insatisfeito pela arrastada negociação, o jogador abriu negociações com outras equipes e encontrou no São Paulo a melhor opção para jogar a partir do segundo semestre deste ano. A troca gerou racha político entre as presidências dos dois rivais, inclusive.

Aproveitando-se da ausência de Luis Fabiano, que ficou dois meses parado devido a uma lesão muscular na coxa direita, Kardec rapidamente caiu nas graças da torcida e do técnico Muricy Ramalho, com quem já havia trabalhado no Santos. Atualmente, ele é titular absoluto do ataque, tendo ficado fora de apenas quatro jogos desde que chegou (dois para ser poupado e dois por contrato).

"Nós acertamos na qualidade, no preço e nas pessoas. Temos não só o Kardec, mas o Souza, o Michel (Bastos), o Luis Ricardo, Álvaro Pereira, Kaká... Eu já conhecia o Kardec do Santos, é uma pessoa acima da média. Ele aproveitou o tempo que ficou na Europa para ser um profissional correto", elogiou o chefe, na sexta-feira, antevéspera do clássico no Morumbi, válido pelo returno do Brasileiro.

Três dias antes, questionado se havia valido a pena tudo o que fez nesta temporada, Kardec não teve dúvida. "Com certeza, porque nossa vida é feita de escolhas. Se não tivesse feito essa escolha, eu não estaria compartilhando esses momentos, com esses grandes jogadores", comentou o camisa 14, que fez o gol da vitória sobre o ex-clube no primeiro turno.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.