Gilcione Costa, matemático da UFMG, projeta que o 16º colocado do Brasileirão precisará de menos pontos para se salvar do rebaixamento do que em edições anteriores

O Botafogo, do goleiro Jefferson, é um dos times que lutam contra o rebaixamento
Gazeta Press/Mourão Panda
O Botafogo, do goleiro Jefferson, é um dos times que lutam contra o rebaixamento

Com 34 rodadas completas, o Campeonato Brasileiro chega ao seu momento decisivo. Clubes como Cruzeiro e São Paulo brigam diretamente pelo título, enquanto Grêmio, Internacional, Atlético-MG, Corinthians e Fluminense disputam vagas para a Libertadores. Na parte debaixo da tabela, o desespero toma conta de Vitória, Botafogo, Bahia e Criciúma, que ocupam respectivamente as últimas posições da tabela. Porém, clubes como Chapecoense, Coritiba, Palmeiras e Figueirense ainda não se livraram das chances de cair para a Série B em 2015. 

Confira classificação, jogos, notícias e artilharia do Brasileirão

Primeiro na zona de rebaixamento, o Vitória tem 34 pontos e é seguido por Botafogo (33), Bahia (31) e Criciúma (30). Restam somente cinco rodadas e a margem apontada anteriormente de 45 ou 46 pontos para evitar o rebaixamento diminuiu. É o que aponta o professor e matemático da UFMG, Gilcione Costa.

"Hoje, se o 16º chegar a 43 pontos tem só 10% de chances de cair, mas é muito provável que se salve já com 42, onde a chance de rebaixamento é de 32%. Com 42 ainda é uma incógnita, mas 43 é uma tendência maior de se salvar", projeta Costa, que faz parte de um grupo de matemáticos, que são apaixonados por futebol. "Analisamos o perfil do time no torneio. Se é bom mandante, bom visitante. Mantemos o aproveitamento e fazemos as projeções futuras", explica o matemático. 

A margem de 42 ou 43 pontos para não cair é inferior à maioria das edições anteriores do Brasileirão com 20 clubes, que vigora desde 2006. No ano passado, o Criciúma fez 46 pontos para ser 16º e se salvar da degola, mesma pontuação que o Fluminense precisou para se safar em 2009. Já com 45, Portuguesa em 2012 e Goiás na edição de 2007 também ficaram perto de cair, mas escaparam na 16ª posição. O histórico dos que se salvaram por pouco ainda tem o Náutico (2008) e Palmeiras (2006), que chegaram aos 44 pontos.

A pontuação projetada por Gilcione para 2014 só se equipara às edições de 2011, quando o Cruzeiro cravou 43 pontos para se safar em 16º e em 2010, ano em que o Atlético-GO se livrou do descenso marcando 42 pontos.

Apesar das projeções, Gilcione lembra que mostra tendências e probabilidades e não convicções. "O que tentamos mostrar são tendências, não verdades, com base nas projeções. Em 2009, o Fluminense chegou a 98% de chances de cair para a Série B, mas se salvou no fim", concluiu Gilcione Costa. 


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.