Novo presidente sempre foi crítico da emissora, que ele julga pagar pouco ao clube carioca. E teme por Del Nero, futuro presidente da CBF, falando em "paulistização" da entidade

O estilo polêmico que marcou sua trajetória no futebol segue como marca de Eurico Miranda, eleito novamente presidente do Vasco . Nas primeiras horas da madrugada desta quarta-feira, ele foi confirmado como o vencedor pela chapa “Volta Vasco. Volta Eurico”. Foram 2.733 votos contra 1.570 do segundo colocado, Júlio Brant, do grupo “Sempre Vasco”.

Leia mais: Chapa de Eurico é eleita com folga e dirigente volta à presidência do Vasco

Poucos minutos depois de vencer a eleição, Eurico provocou os adversários e prometeu que irá resgatar o respeito ao Vasco. “Falei que ia ser assim. Se juntar os votos deles, não chega aos meus. Estou de volta porque os vascaínos pediram. Estou feliz pelo clube, que vai ter um futuro melhor. Vamos resgatar o respeito ao Vasco”, disse Eurico.

Veja também: Gás de pimenta e comemoração pró-Eurico marcam última hora de eleição

Eurico Miranda: de volta ao comando do Vasco, ele terá que lidar com desafetos
Daniel Ramalho/AGIF
Eurico Miranda: de volta ao comando do Vasco, ele terá que lidar com desafetos

O retorno do dirigente ao poder abre dúvidas sobre a atuação do Vasco no futebol brasileiro. Isso porque o dirigente tem péssimo relacionamento com a Rede Globo, dona dos direitos de transmissão dos campeonatos nacionais. Eurico sempre reclamou que o atual presidente, Roberto Dinamite, aceitava os valores baixos propostos pela Globo e fechava acordos aceitando menos do que outros clubes, como Corinthians e Flamengo.

Eurico Miranda também terá que se relacionar com Marco Polo del Nero, que comanda a Federação Paulista de Futebol e assumirá a presidência da CBF em 2015. Com Ricardo Teixeira, o dirigente vascaíno tinha momentos de amor e de ódio, mas não era visto como opositor. Para aliados, Eurico demonstrou preocupação com uma possível "paulistização", palavra dele próprio, no comando da CBF.

Rivais em harmonia

Na esfera estadual, Eurico Miranda deve conviver em paz, ao menos aparentemente, com Eduardo Bandeira de Mello, do Flamengo, e Peter Siemsen, do Fluminense, que evitam discussões públicas. O Botafogo ainda não definiu o presidente para o próximo triênio, mas nenhum dos concorrentes tem perfil polêmico. Certo é que o melhor relacionamento de Eurico deve continuar a ser com Rubens Lopes, presidente da Federação de Futebol do Rio de Janeiro e amigo do vascaíno.

Agora, o Conselho Deliberativo tomará posse em 19 de novembro, quando Eurico será oficializado como presidente. Ao todo, a chapa dele terá 120 representantes, contra 30 representantes da chapa segunda colocada. Esses nomes se juntarão aos 150 permanentes do conselho. A posse de Eurico será em 1 de dezembro.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.