Tamanho do texto

Ídolo cruz-maltino cruzou com o Eurico Miranda, líder das pesquisas de boca de urna, mas sequer o cumprimentou durante o processo eleitoral no clube carioca

Edmundo, ex-atacante do Vasco, votou contra a volta de Eurico Miranda
Getty Images
Edmundo, ex-atacante do Vasco, votou contra a volta de Eurico Miranda

Nesta terça-feira, os processos eleitorais do Vasco tomaram contornos tensos quando o ex-atacante Edmundo chegou a São Januário. Integrante da chapa liderada por Júlio Brant, o ídolo cruz-maltino cruzou com o ex-presidente Eurico Miranda, líder das pesquisas de boca de urna, mas sequer o cumprimentou. Quando questionado sobre sua relação com o postulante à vaga ocupada por Roberto Dinamite, o ex-jogador foi enfático, mas não perdeu o tom crítico.

"Eu, o Felipe e o Pedrinho somos exemplos de crias do Eurico Miranda. Por causa disso, sabemos como é o jeito dele de administrar. Porém, vamos ver como será. Ele é poderoso, difícil de enfrentar", disse Edmundo.

Adiante, Edmundo voltou a atacar Eurico, questionando a transparência do processo eleitoral vascaíno. Meses antes do pleito, o ex-mandatário, junto com o também postulante Roberto Monteiro, foram acusados de pagar mensalidades para alguns sócios votarem.

"Eu sou sócio e votei. Tem gente aqui que talvez não seja. Enfim, só espero uma eleição honesta. Independente de quem ganhar, vou continuar torcendo para que o Vasco volte a ser o grande clube que deixou de ser, por causa de más administrações. Sonho com a elite do futebol e títulos", ressaltou o ex-atacante.

Na última segunda-feira, Eurico Miranda divulgou um vídeo com o Edmundo e atual deputado federal Romário, um dos apoiadores de sua candidatura. O ex-presidente se referiu ao Baixinho como o "maior ídolo da história vascaína", o que causou um novo impasse com o ex-atleta, fazendo ecoar um episódio ocorrido em 2000.

Incomodado com regalias concedidas a Romário dentro do clube, Edmundo disse que o Baixinho era o "príncipe da corte cruz-maltina", onde Eurico Miranda tinha o posto de "rei". Porém, em resposta, o atual parlamentar não poupou palavras: "Agora a corte está toda feliz. O rei, o príncipe e o bobo".

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.