Equipe paulista levou um gol com 16 segundos, perdeu o jogo no Equador, mas avançou à semifinal da Copa Sul-Americana

O desgaste físico acumulado pelas últimas viagens foi o que fez o São Paulo sofrer diante do Emelec, na noite desta quarta-feira, em Guaiaquil, na opinião de seu treinador. Após a derrota por 3 a 2 , a qual não custou a classificação para a semifinal da Copa Sul-americana, Muricy Ramalho atrelou o domínio adversário na etapa final simplesmente ao cansaço de seu time.

Muricy Ramalho, técnico do São Paulo
Getty Images/Alexandre Schneider
Muricy Ramalho, técnico do São Paulo

Após sofrer o primeiro gol logo aos 16 segundos e conseguir a virada ainda no primeiro tempo, a equipe brasileira foi vazada duas vezes em seis minutos depois do intervalo. Mais um gol equatoriano teria levado a decisão da vaga à disputa por pênaltis, o que não ocorreu graças à trave direita, ao travessão e algumas boas defesas do goleiro Rogério Ceni à queima-roupa.

"Tomamos um gol com menos de um minuto, mas depois dominamos o jogo, porque estávamos com perna. Realmente entramos meio desligados no segundo tempo, mas isso não justifica. É que a gente não teve perna mesmo para melhorar no segundo tempo", disse o comandante, que temeu pelo pior na volta do vestiário.

Emelec abre placar aos 16 segundos e faz três gols, mas São Paulo é quem avança

"Em duas bobeadas nossas, o jogo mudou completamente, e sentimos muito. Não tínhamos perna mais para reagir. Os jogadores tiraram força de onde não tinham. A gente se defendeu e dependeu de um pouco de sorte também. Infelizmente, não estávamos inteiros para sair no contra-ataque. Fiz mudanças para isso, mas não encaixamos nenhum", acrescentou Muricy, que voltou a reclamar do calendário e saiu agradecido pela sorte no final.

"Você tem que ganhar ainda, porque, se não ganhar, com certeza as pessoas que falam de futebol te cornetam. Tem que ganhar. Mas vocês (jornalistas) vieram aqui também e sabem o que sofreram para chegar. Somos normais. Os caras (jogadores) estão arrebentados. Toda vez que acaba o jogo, é assim, é difícil", desabafou.

O retorno do elenco à capital paulista está previsto para a madrugada de sexta-feira. No dia seguinte, os atletas já viajam para Salvador, onde atuarão no domingo contra o Vitória, em compromisso válido pelo Campeonato Brasileiro.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.