"Esse espírito de luta é de se destacar. Eu me orgulho muito de estar trabalhando com esses caras em final de carreira", disse

Uma fotografia publicada pelo lateral direito reserva Luis Ricardo pouco antes do embarque da delegação são-paulina rumo ao Equador, na segunda-feira, mostrava Rogério Ceni sorridente ao lado de alguns colegas de elenco. Uma rara aparição do goleiro de 41 anos, que costuma ficar mais reservado, mas tem se deixado contagiar às vésperas da aposentadoria.

Muricy justifica aperto por falta de perna e admite sorte do São Paulo no final

Rogério Ceni, goleiro do São Paulo
Getty Images
Rogério Ceni, goleiro do São Paulo

Ao final da partida contra o Emelec , o maior ídolo do clube no século elencou elogios ao último elenco do qual fará parte na carreira. Apesar de derrotado por 3 a 2, o time se classificou à semifinal da Copa Sul-americana por conta da vitória por 4 a 2 no jogo de ida, no Morumbi, e da dedicação demonstrada em Guaiaquil apesar do desgaste físico acumulado pelas quase 16 horas de viagem.

"Esse espírito de luta é de se destacar. Eu me orgulho muito de estar trabalhando com esses caras em final de carreira. É um grupo que persevera o tempo todo, não desiste. Todos estão sempre de bom humor, mesmo com todas as dificuldades que a gente encontra na locomoção", disse o jogador à Fox Sports.

Emelec abre placar aos 16 segundos e faz três gols, mas São Paulo é quem avança

O ambiente descontraído é algo do qual Muricy Ramalho também mais se orgulha quando comenta sobre sua equipe. O técnico faz sempre questão de ressaltar que assumiu muitos problemas internos no ano passado e recuperou a alegria do time.

Diferentemente de 2013, quando lutou principalmente para escapar do rebaixamento à Série B e caiu na semifinal da Sul-americana, o São Paulo agora disputa o título brasileiro com o Cruzeiro e se vê com chances maiores de chegar à decisão do torneio continental para dar a Rogério Ceni ao menos mais um título antes do final de carreira.

"Seria um desejo que, se realizado, coroaria uma carreira de tanto tempo, longínqua", animou-se o goleiro, ainda na saída de campo do Estádio George Capwell, na quarta-feira. "Mas é difícil ganhar uma final", desconversou o campeão sul-americano de 2012, sorrindo mesmo ciente de que terá pela frente uma longa viagem de volta até a capital paulista, nesta quinta-feira.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.