Tamanho do texto

"O Vasco tem uma camisa muito pesada, mas todos que jogam aqui sabem disso e estão acostumados com essa situação", disse o volante argentino Guiñazu

Precaução. Essa é a palavra no elenco do Vasco. O time está há três jogos sem vencer, mas ainda aparece dentro do G-4 da Série B do Campeonato Brasileiro. Dessa forma, a possível promoção à elite do futebol nacional tornou-se a prioridade da equipe, além de obrigação. Os atletas admitem que a pressão está cada vez maior e não fogem da responsabilidade.

Veja como está a classificação e os próximos jogos da Série B

"O Vasco tem uma camisa muito pesada, mas todos que jogam aqui sabem disso e estão acostumados com essa situação. Sabemos que temos que subir para a primeira divisão e trabalhamos apenas com essa possibilidade. Porém, estamos pensando sempre no próximo jogo para não atrapalharmos metas e criarmos dificuldades ainda maiores. Nosso foco está no Paraná", analisou o volante argentino Pablo Guiñazu.

Guiñazu em ação pelo Vasco
Mauro Horita/Agif/Gazeta Press
Guiñazu em ação pelo Vasco

Para o beque Rodrigo, os maus resultados recentes colocaram um pouco de fogo na pressão que o elenco já vinha sentindo, ele, porém, acredita que é preciso reagir com naturalidade à situação.

"Sabemos que o Vasco é um grande clube e que sempre vai existir a pressão pelos objetivos mais altos. Desde o início do ano sabemos que a classificação à Série A, de onde o time jamais deveria ter saído, era a prioridade e estamos trabalhando sempre com isso em mente. Faltam poucos jogos para o fim da competição e é natural que o peso dos resultados se torne ainda maior, principalmente quando as vitórias não chegam e você está defendendo uma grande camisa. Mas o Vasco está firme no seu propósito e estamos confiantes", disse o zagueiro.

O cruzmaltino volta a campo pela Série B na próxima sexta-feira, às 21h50 (de Brasília), quando visita o Paraná, no Estádio Durival Britto, em Curitiba (PR), pela 33ª rodada competição. Com um intervalo um pouco maior de tempo, o técnico Joel Santana comandou uma atividade tática na manhã desta terça-feira, no CFZ, onde defesa e ataque se enfrentaram. Por diversas vezes o treinador parou a atividade para corrigir o posicionamento dos setores.

O zagueiro Rodrigo, que ficou na academia fazendo reforço muscular, e o volante Fabrício, reclamando de um pisão no pé direito, não participaram das atividades, mas não preocupam para sexta-feira. Quem está de fora do duelo contra os paranistas é o zagueiro Douglas Silva, que está com o tornozelo direito imobilizado. Assim, Luan deverá ser o companheiro de Rodrigo. Nesta quarta-feira o elenco volta a trabalhar na parte da manhã e Joel Santana deverá dar os primeiros sinais da escalação que pretende mandar a campo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.