O Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) entendeu que o clube não teve culpa em problema com inscrição do jogador

Petros, volante do Corinthians
Daniel Augusto Jr./Agência Corinthians
Petros, volante do Corinthians

O Corinthians terá um problema a menos para se preocupar na briga por uma vaga na Libertadores na reta final de Campeonato Brasileiro. Nesta segunda-feira, o Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) julgou uma suposta irregularidade no contrato do volante Petros, mas entendeu que não houve erro por parte do clube. Sendo assim, o Timão se livrou de perder quatro pontos na competição.

O processo judicial ocorreu por causa de uma possível irregularidade na renovação do contrato com o volante Petros. O nome do jogador apareceu no Boletim Informativo Diário (BID) da CBF no dia 1 de agosto, na sexta-feira, mas o novo vínculo com o Corinthians passou a valer a partir de 2 de agosto.

Absolvido, Corinthians provoca Inter publicando imagem de DVDs

No dia seguinte, domingo, Petros entrou em campo para defender o Corinthians contra o Coritiba, em partida que terminou empatada sem gols. De acordo com a Procuradoria, o volante teria atuado de forma irregular, já que a regularização poderia acontecer apenas na segunda-feira, quando o BID atualizaria a informação.

Diante do impasse, Internacional e Grêmio, que disputam uma vaga na Libertadores com o Corinthians neste Campeonato Brasileiro, deixaram a rivalidade de lado e entraram como interessados no processo. Os representantes dos times gaúchos, no entanto, preferiram não fazer qualquer sustentação oral ao longo do julgamento.

Fora do G4 de novo, Corinthians aposta em Itaquera para se firmar no Brasileirão

Logo no primeiro voto, o relator Márcio Amaral isentou o Corinthians de culpa, defendendo que o clube colocou um atleta que estava no BID, e condenou CBF e Federação Paulista com multa de R$ 10 mil pelo impasse. Na sequência, Matheus Gregorini, Rodrigo Raposo e José Perdiz também absolveram o time alvinegro.

O julgamento foi realizado em primeira instância, o que abre espaço para recurso e revisão no Pleno do STJD, que ainda não tem data definida. Livre neste momento de qualquer punição, o Corinthians espera a manifestação da promotoria, já que, recentemente, viu Guerrero ser absolvido no primeiro momento, porém punido na revisão do caso.

* Com Gazeta.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.