Tamanho do texto

Pena era decorrente da briga entre torcedores do clube com os do Figueirense, em jogo válido pelo Campeonato Brasileiro

O Goiás conseguiu, por meio de seu advogado, João Bosco Luz, um efeito suspensivo junto ao Superior Tribunal de Justiça Desportiva e não terá que jogar de portões fechados. A pena era decorrente da briga entre torcedores esmeraldinos e do Figueirense, em jogo válido pelo Campeonato Brasileiro. Punida com três jogos, a equipe de Goiânia não teria torcedores nos jogos contra Fluminense, Bahia e Corinthians, todos no Serra Dourada.

Recorrente em casos de indisciplina desde o ano passado, o time já tinha sido punido nesta edição do Brasileirão. Na 11ª rodada, em jogo contra o Sport, um torcedor estourou uma bomba na arquibancada do Serra, e a equipe goiana perdeu quatro mandos de campo, que deveriam ser cumpridos em outra cidade. Porém, o departamento jurídico além de ter obtido efeito suspensivo conseguiu também anular a pena em julgamento realizado no Pleno do STJD.

Ainda não há data para o novo julgamento, mas João Bosco Luz acredita que ocorrerá nos próximos 25 dias. Caso a pena seja mantida em uma instância final, o Goiás perderia o jogo visto pela diretoria como mais importante, contra o Corinthians. O time pensava, inclusive, em negociar o mando de campo para conseguir mais renda nas bilheterias.

Entenda o incidente - Aos 24 minutos do segundo tempo, torcedores de Goiás e Figueirense desceram para o antigo setor da geral no Serra Dourada e deram início ao confronto. O árbitro paulista Marcelo Aparecido Ribeiro de Souza imediatamente paralisou o jogo e relatou o incidente na súmula. Fator que pode agravar a pena.

Dentre os seis torcedores detidos, dois eram menores de idade e outros dois torcedores do Figueirense, segundo a Polícia Militar. Todos acabaram encaminhados para o Juizado Especial Criminal, no próprio Serra Dourada, e acabaram eliminados após assinarem o Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO).

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.