Atacante recebeu punição de três jogos por empurrão no árbitro Leandro Bizzio Marinho, em duelo pela Copa do Brasil

Guerrero, atacante do Corinthians
Getty Images
Guerrero, atacante do Corinthians

A suspensão de Guerrero por três jogos foi recebida com revolta no Corinthians, mas houve algum cuidado para evitar críticas muito duras ao STJD. O departamento jurídico do clube tentará converter o gancho em pena pecuniária, ou seja, financeira.

Não há otimismo na tentativa, mas é o que restou, pois não cabe recurso à decisão. A suspensão de Guerrero foi definida já em segunda instância, no Pleno do STJD, e só o que podem fazer os advogados é buscar uma alteração no cumprimento da pena.

O centroavante do Corinthians havia sido absolvido por unanimidade da acusação de agressão ao árbitro Leandro Bizzio Marinho, em partida do longínquo dia 27 de agosto, contra o Bragantino, pela Copa do Brasil. A Procuradoria do STJD não gostou e exigiu um segundo julgamento.O próprio juiz disse não ter visto agressão na trombada com o peruano, que sempre negou veementemente a intenção do choque. O Pleno do STJD, no entanto, viu uma "atitude contrária à disciplina ou à ética esportiva" e aplicou um gancho que causou surpresa no clube preto e branco.

Se o departamento jurídico do Corinthians não tiver sucesso em sua última tentativa, Guerrero ficará fora do clássico contra o Palmeiras, no sábado. Ele também será desfalque contra o Coritiba, no próximo dia 1º, em Itaquera, e no dia 8, contra o Santos, também em Itaquera.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.