Carlos Sérgio Falcão entende que arbitragem teve participação decisiva na eliminação do clube da Copa Sul-Americana

O Vitória sabia da dificuldade que enfrentaria no mata-mata diante do Atlético Nacional-COL, válido pelas oitavas de final da Copa Sul-americana. Entretanto, deixou a competição com o sentimento de que poderia seguir adiante. Na partida de ida, em Medellín-COL, a equipe foi vítima de um pênalti polêmico assinalado para os mandantes, que decretou o placar de 2 a 2. Nesta quarta-feira, no Barradão, a invalidação do gol de Dinei fez com que os alviverdes triunfassem por 1 a 0, garantindo a vaga no estágio seguinte.

Irritado com a participação da arbitragem nas duas partidas, o presidente do Vitória, Carlos Sérgio Falcão, prometeu enviar, por meio da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), um protesto à Conmebol. "O Vitória irá representar nesta entidade contra a arbitragem, que nos prejudicou de forma grosseira. Foi lamentável", ressaltou.

O responsável por conduzir o compromisso de volta foi o argentino Diego Abal, já conhecido em território alviceleste por atuações desastrosas. Entretanto, o grande carrasco rubro-negro fora o auxiliar Diego Bonfa, responsável por anular um gol legítimo de Dinei, aos 39 minutos do segundo tempo, que promoveria à representação baiana a classificação.

Revoltado, o atacante Vinícius, responsável por formar o trio de ataque com Edno e Dinei, não poupou críticas à atuação de Bonfa. "Os caras vieram aqui só para prejudicar a gente. É complicado", enfatizou.

Classificado, o Atlético Nacional-COL terá pela frente a Universidad César Vallejo-PER, responsável por eliminar o Bahia, rival rubro-negro, nos pênaltis, após a repetição de dois placares em 2 a 0. O último deles, em Trujillo-PER. Curiosamente, o insucesso brasileiro impediu a concretização de um Ba-Vi à nível internacional.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.