Adversário do time de Muricy Ramalho nas quartas de final da Copa Sul-Americana será o Emelec, que despachou o Goiás

Ganso comemora gol contra o Huachipato pela Copa Sul-Americana
AP
Ganso comemora gol contra o Huachipato pela Copa Sul-Americana

A exemplo do que ocorreu no jogo de ida contra o Huachipato, quando venceu por 1 a 0 mesmo com a expulsão de Luis Fabiano, o São Paulo precisou superar outro cartão vermelho -- desta vez de Denilson, também no primeiro tempo -- para sair do Chile nesta quarta-feira com um triunfo por 3 a 2 e a classificação às quartas de final da Copa Sul-Americana.

Os três primeiros gols saíram antes do segundo e discutível cartão amarelo recebido por Denilson. O São Paulo abriu o placar com Michel Bastos e sofreu o empate em finalização de Andrés Vilches. Pouco depois, Paulo Henrique Ganso, destaque em Talcahuano, anotou um belo gol e recuperou a vantagem. No fim do jogo, Angelo Sagal empatou, mas ainda sobrou tempo para Boschilia definir o triunfo.

O adversário na próxima fase será o Emelec, que despachou o Goiás nos pênaltis nesta quarta-feira, depois de derrota no Serra Dourada. 

O jogo

Nesta noite, mais uma vez o técnico Muricy Ramalho ainda não tinha o zagueiro Rafael Toloi, o volante Souza, os meias Maicon (que entrou na lista de baixas de última hora, por conta de dores nas costas) e Kaká e os atacantes Ademilson e Luis Fabiano, afora Rodrigo Caio, que só volta em 2015. A grande aposta era o retorno de Paulo Henrique Ganso ao meio-campo, depois de cumprir suspensão no Campeonato Brasileiro.

O começo da partida, no entanto, mostrou um São Paulo acanhado, sem conseguir prender a bola, enquanto o Huachipato se lançava em busca do gol e marcava sob pressão. Aos quatro minutos, a defesa brasileira deu bobeira, e Juan Carlos Espinoza aproveitou uma rápida cobrança de falta pelo lado direito para invadir a área e chutar rasteiro. Atento, Rogério Ceni fez ótima defesa e impediu a abertura do placar.

O castigo ao ímpeto ofensivo chileno não tardou, porém. Cinco minutos depois da chance desperdiçada, o São Paulo abriu o placar. Ganso fez boa tabela com Alexandre Pato, deixando-o em ótima condição. Da entrada da área, o atacante finalizou rasteiro e viu o goleiro Miguel Jiménez oferecer rebote para Michel Bastos, completamente livre, apenas empurrar para a rede.

Forçada a marcar três gols para evitar a eliminação, a equipe mandante não se abateu e continuou em cima, sendo premiada aos 20 minutos, com ajuda da zaga. Em cruzamento para a área, Álvaro Pereira perdeu pelo alto e permitiu que um desvio de cabeça deixasse Andrés Vilches diante de Rogério Ceni. De primeira, o artilheiro da competição não perdoou e colocou a bola no canto esquerdo de Rogério Ceni para igualar o marcador.

Mais rápida ainda foi a resposta são-paulina. Passados dois minutos do empate, Alan Kardec chegou ao bico direito da área e levantou a bola para Ganso, que chegava de trás. Sem deixá-la cair, o meia bateu de perna esquerda e anotou um golaço, tranquilizando Muricy Ramalho, que se manteve em pé à beira do gramado durante quase todo o primeiro tempo.

O treinador voltaria a se preocupar aos 33 minutos, quando Pato acusou dores musculares e precisou ser substituído por Osvaldo. Logo em seguida, o árbitro paraguaio Antonio Arias aplicou o segundo cartão amarelo - este questionável - ao volante Denilson e deixou o São Paulo com um jogador a menos. Distante da jogada, uma dividida normal, Muricy reclamou da imprudência do jogador, que poderia permitir a reação chilena. Até o intervalo, contudo, o Huachipato não aproveitou essa vantagem.

No segundo tempo, a vantagem também não fez grande diferença, a não ser pelo fato de o time brasileiro ter que se desdobrar defensivamente, com ajuda de seus homens de frente. Missão que foi facilitada pela maneira desorganizada e afobada com que o Huachipato atacava, errando muitos passes. Na primeira grande chance, aos 17 minutos, Carlos Espinosa recebeu passe rasteiro e acertou o travessão. No fim, aos 42, Angelo Sagal foi acionado dentro da área e finalmente empatou, com um chute rasteiro. Mas a esperança foi definitivamente por água baixo dois minutos depois, quando Boschilia (que havia substituído o exausto Ganso) aproveitou rápido contragolpe, finalizou da entrada da área e garantiu o triunfo.

FICHA TÉCNICA
HUACHIPATO-CHI 2 X 3 SÃO PAULO

Local: Estádio CAP, em Talcahuano (Chile)
Data: 15 de outubro de 2014 (quarta-feira)
Horário: 19h30 (de Brasília)
Árbitro: Antonio Arias (PAR)
Assistentes: Rodney Aquino (PAR) e Carlos Cáceres (PAR)
Cartões amarelos: Juan Carlos Espinoza (Huachipato); Denilson, Michel Bastos, Alan Kardec (São Paulo)
Cartão vermelho: Denilson (São Paulo)

Gols
HUACHIPATO:
Andrés Vilches, aos 20 minutos do primeiro tempo, e Angelo Sagal, aos 42 minutos do segundo tempo
SÃO PAULO: Michel Bastos, aos nove, e Paulo Henrique Ganso, aos 22 minutos do primeiro tempo; Boschilia, aos 44 minutos do segundo tempo

HUACHIPATO: Miguel Jiménez; Esteban González (Martín Rodríguez), Claudio Muñoz, Omar Merlo e Bryan Véjar; Francisco Arrué, Leonardo Povea (Carlos Espinosa), Leandro Ezquerra (Martín Sanchez) e Angelo Sagal; Juan Carlos Espinoza e Andrés Vilches
Técnico: Mario Salas

SÃO PAULO: Rogério Ceni; Paulo Miranda, Antônio Carlos, Edson Silva e Álvaro Pereira; Denilson, Hudson, Michel Bastos e Ganso (Boschilia); Alexandre Pato (Osvaldo)(Lucão) e Alan Kardec
Técnico: Muricy Ramalho

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.