Tamanho do texto

Ato gera confusão generalizada entre os jogadores dentro de campo, obrigando Uefa a interromper a partida aos 41 minutos

O jogo desta terça-feira entre Albânia e Sérvia, válido pelas eliminatórias para a Eurocopa de 2016, estava empatado em 0 a 0 e se aproximava do intervalo quando foi interrompido. Isso porque um drone (equipamento guiado por controle remoto) com uma bandeira da Albânia foi lançado ao campo sérvio e acabou dando início a uma confusão generalizada. 

Jogadores do time da casa, Mitrovic e Gudelj se aproximaram do equipamento e arrancaram a bandeira do país vizinho. A ação causou revolta nos albaneses, o que gerou uma briga entre os atletas, com invasão da torcida, bombas e conflito com policiais. 

Veja abaixo imagens da confusão:

Por questões de segurança, levando em conta o longo histórico de guerras entre os dois países, a Uefa permitiu apenas a presença de torcedores da seleção local no estádio. De acordo com o site 101 Great Goals , o responsável por guiar o drone foi Orfi Rama, irmão do primeiro ministro da Albânia. Ele estava no setor VIP durante a partida e foi preso.

O conflito entre sérvios e albaneses teve início no século 19 e tem como motivação questões étnicas e religiosas. Durante a Guerra russo-turca, entre 1978 e 1879, a Sérvia, de maioria cristã, expulsou a força dos seus territórios recém-adquiridos cerca de 80 mil muçulmanos -- albaneses e eslavos.

Nos dias de hoje, por exemplo, os sérvios entendem que os albaneses incentivaram Kosovo a lutar pela independência. O governo sérvio reivindica o território como parte de seu país, ao passo que a Albânia o reconhece como nação independente.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.