Cada vez mais perto da aposentadoria, capitão do time do Morumbi pede um esforço extra de cada jogador no duelo desta quarta-feira, diante do Huachipato, no Chile

O último integrante da delegação do São Paulo a embarcar para o Chile, na tarde desta segunda-feira, foi Rogério Ceni. Enquanto atendida pedidos de autógrafos e fotografias, o goleiro, diferentemente da comissão técnica e de parte do elenco, minimizou o desgaste físico pela sequência de jogos e viagens.

Confira a tabela de jogos, artilharia e notícias da Copa Sul-Americana

Rogério Ceni embarca com a delegação do São Paulo para o Chile, onde enfrentará o Huachipato, pela Copa Sul-Americana
Fernando Dantas/Gazeta Press
Rogério Ceni embarca com a delegação do São Paulo para o Chile, onde enfrentará o Huachipato, pela Copa Sul-Americana


"Não temos que ter cansaço, não. Temos que pensar no objetivo final, em um modo como a gente possa ganhar, no final do ano. Tem que superar qualquer tipo de cansaço", disse o capitão, no saguão do Aeroporto Internacional de Guarulhos, de onde o elenco saiu rumo a Santiago - de lá, seguirá para Talcahuano, palco da partida de volta das oitavas de final da Copa Sul-Americana , contra o Huachipato, na quarta-feira.

"Para mim, é muito importante a competição. Sei que alguns tratam o Campeonato Brasileiro como mais importante. Mas, para mim, cada jogo é importante. São mais sete jogos. Em passando (pelo Huachipato), mais seis", analisou o jogador de 41 anos, que encerrará a carreira no final da temporada e parece ser o mais animado com a possibilidade de ser campeão.

"Quero muito ganhar. Só que é uma coisa que depende do grupo todo, que todos tenham esse mesmo desejo e que a gente consiga ter peças para jogar bem, ter motivação cada vez mais para jogar bem. Acho muito importante ser campeão de um torneio internacional. Mesmo que não seja a Libertadores, é a segunda maior competição do continente", argumentou.

Leia ainda: Rogério Ceni vai se aposentar. Vão sobrar goleiros artilheiros pelo mundo?

Nos últimos dias, o técnico Muricy Ramalho tem ressaltado a dificuldade de enfrentar uma sequência de partidas com uma série de desfalques. A lista já diminuiu significativamente, mas, ainda assim, sete jogadores não viajaram: os zagueiros Rafael Toloi e Rodrigo Caio (lesionados), o volante Souza (na seleção brasileira), os meias Maicon (lesionado) e Kaká (seleção brasileira) e os atacantes Ademilson (seleção olímpica) e Luis Fabiano (suspenso).

Por ter derrotado o Huachipato por 1 a 0 no duelo de ida, no Morumbi, o São Paulo pode até empatar - ou perder por um gol de diferença, desde que também vaze o adversário - para avançar às quartas de final da Sul-Americana. Se o placar for devolvido, a vaga será decidida nos pênaltis.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.