Tamanho do texto

"Ah, tem que fazer mais um pouquinho, né? Fiquei três anos fazendo gols desse jeito", disse o ex-atacante sobre o atual, também especialista em sair do banco para decidir jogos

Tupãzinho: por enquanto, o único
Gazeta Press
Tupãzinho: por enquanto, o único "Talismã"

O bom desempenho de Luciano entrando no segundo tempo das partidas rendeu comparações com Tupãzinho, que ganhou o apelido de "Talismã da Fiel" nos anos 90 justamente pelos gols importantes que marcava depois de sair do banco. O velho ídolo do Corinthians , porém, é possessivo e diz que não abrirá mão da alcunha tão facilmente.

Leia mais: Luciano tem 66% de seus gols em jogos que começou no banco

"Ah, tem que fazer mais um pouquinho, né? Fiquei três anos fazendo gols desse jeito. Se ele ficar mais dois anos assim, aí a gente pode passar esse título", disse o ex-jogador ao site do clube alvinegro, antes de elogiar o candidato a sucedê-lo. "Ele é habilidoso, bate bem na bola e se posiciona bem. E ainda tem sorte."

Veja também: Mano cita Pelé para elogiar Luciano e diz que "bola procura" o atacante

Luciano entrou no segundo tempo das três últimas partidas do Corinthians e marcou em cada uma delas, todas vitórias. Artilheiro da equipe na temporada, o camisa 18 marcou oito de seus 14 gols em jogos nos quais começou sentado ao lado do técnico.

Confira classificação, tabela de jogos, artilharia e notícias do Campeonato Brasileiro

Luciano: decisivo vindo do banco de reservas
Getty Images
Luciano: decisivo vindo do banco de reservas

Tupoãzinho diz que a estratégia atual é a mesma dos velhos tempos. "O fator físico prevalecia. Em comparação com o Luciano, eu era até mais rápido. Eu entrava e pegava os caras mais cansados. Teve uma vez em que eu fiz dois gols contra o São Paulo desse jeito", comentou o Talismã, que já havia castigado o rival do Morumbi como titular.

Escalado com a camisa 9 por Nelsinho Baptista na final do Campeonato Brasileiro de 1990, Tupãzinho entrou na história do Corinthians ao marcar o gol do primeiro título nacional do clube.

Luciano não se mostra satisfeito com o papel de jogador de segundo tempo, mas também não pressiona Mano por uma vaga. Como Guerrero está na seleção peruana e Romero não vem bem, é possível que o candidato a talismã seja titular no sábado, contra o Botafogo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.