Meia do São Paulo se apresentou com Marcelo Grohe e Souza e já participou de treino com equipe de Dunga na capital chinesa

Kaká se apresentou nesta quarta-feira à seleção brasileira e provocou histeria na chegada ao hotel em que a equipe de Dunga se concentra para o jogo de sábado, contra a Argentina, em Pequim. Aos 32 anos e vasta experiência na Europa, o jogador foi recebido por dezenas de fãs torcedores do Milan, onde fez história, e provocou o choro de alguns desses torcedores antes de fazer seu primeiro treino neste seu retorno à seleção.

"Servir à seleção é sempre um prazer, um privilégio, um prêmio. Essa convocação acontece em um momento em que venho jogando bem pelo São Paulo, conseguindo uma continuidade com bons jogos. Se chegou agora, é porque era a hora de chegar essa convocação", disse o meio-campista depois de alguns autógrafos e fotos. Ele chegou à capital chinesa acompanhado de Souza, seu colega de São Paulo, e do goleiro Marcelo Grohe, do Grêmio.

Kaká atende a fãs em Pequim
Rafael Ribeiro/ CBF - divulgação
Kaká atende a fãs em Pequim

Kaká foi um dos pilares da primeira passagem de Dunga pela seleção entre 2006 e 2010. Ele terá 36 anos em 2018, mas assegura que pode ter condições físicas de seguir em alto nível até a Copa do Mundo da Rússia.

"A parte física está ótima. Há muito tempo eu não tenho nenhum tipo de lesão e estou conseguindo enfrentar a maratona de jogos no Campeonato Brasileiro e na Sul-Americana", afirma, ainda que tenha sido poupado em parte dos compromissos internacionais.

Kaká também garante que a bagagem acumulada nas últimas temporadas faz dele um atleta mais completo do que o de quatro anos atrás, quando disputou a Copa do Mundo. "Estou bem melhor na parte física, técnica e tática. Hoje eu consigo ler melhor o jogo dentro de campo, pela maturidade e experiência que eu tenho e não tinha antes", finaliza.


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.