Técnico do Santos enalteceu o profissionalismo do centroavante e acredita que a pressão só pode aumentar. Luis Álvaro comparou Damião com um "pangaré"

Enderson Moreira, técnico do Santos
Flickr/Santos
Enderson Moreira, técnico do Santos

O atacante Leandro Damião viu seu nome envolvido em uma polêmica entrevista dada pelo ex-presidente do Santos , Luis Álvaro de Oliveira Ribeiro, nesta quarta-feira, em São Paulo. Laor criticou duramente a contratação do camisa 9 pela atual gestão do clube ao valor de R$ 42 milhões e foi mais longe, ao comparar Damião com um "pangaré" . Ao ser questionado sobre o assunto, Enderson Moreira exigiu respeito e enalteceu o profissionalismo de seu centroavante.

Leia mais: Luis Álvaro questiona valor de Damião: "Pangaré que nunca vai ganhar um prêmio"

"Isso é sempre ruim para os dois lados. Para o jogador, é uma pressão enorme, acima do que consegue controlar. Mas ele tem que trabalhar, se dedicar, tem que fazer com que o rendimento possa retornar. Sempre respeito o que as pessoas falam. É o respeito que tenho que ter desde que tenham respeito por outras pessoas", disse o técnico, antes de completar sua defesa ao jogador diante das declarações de Laor.

"Jogar não é fácil. Se fosse, teríamos mais atletas. É complicado, difícil. O atleta de futebol brasileiro merece respeito e eu respeito. Independente das preferencias técnicas de um ou de outro, o atleta tem que ser sempre respeitado como ser humano. Eu acho que tem que ser respeitado em qualquer situação", cobrou Enderson.

No início da tarde desta quarta-feira, Luís Álvaro condenou a contratação do ex-jogador do Internacional com críticas pesadas durante o lançamento da candidatura de Fernando Silva à presidência do Santos.

"Um centroavante que não faz gol, pula a 10 centímetros do solo, não ganha essa coisa toda. Começou bem no Inter, no ano seguinte ficou mais tempo na enfermaria do que em campo e ano passado era banco. Você comprar um jogador desse por R$ 42 milhões não faz sentido", disse Luis Álvaro, que estava licenciado do cargo durante a transferência em função do seu estado crítico de saúde na época.

"A ideia do fundo maltês era colocá-lo em uma vitrine como o Santos, um dos poucos com prestígio internacional. Mas é você apostar em um pangaré. Não vai ganhar um prêmio nunca. Se ganhar, ganha uma fortuna. Que é esquisito, é", concluiu Laor durante entrevista coletiva.

O presidente Odílio Rodrigues defendeu o atleta: "Todo jogador atravessa fases boas e ruins em sua carreira, mas, independente do momento que o atleta esteja passando, ele deve ser sempre respeitado, como profissional e como pessoa, preservando-se acima de tudo sua dignidade humana, principalmente por dirigentes de futebol", disse o atual presidente do Santos FC.

Patito será o substituto de Robinho
O treinamento desta quarta-feira, no CT Rei Pelé, serviu para Enderson Moreira tirar suas últimas dúvidas e confirmar a equipe que enfrenta o Bahia, nesta quinta-feira, as 19h30, na Vila Belmiro. A grande novidade é a entrada de Patito Rodriguez no time titular na vaga de Robinho, que está com a seleção brasileira na China, para amistoso contra a Argentina.

"Quando chego em uma equipe, quero ver todos os atletas. Às vezes, nos treinamentos você tem uma ideia, mas os jogos são muito importantes para ver participação, como rende e joga. Patito está aqui, está tranquilo, cabeça focada. Tem entrado bem e tem característica diferente. Temos bons velocistas, mas ele tem ideia boa de jogar por dentro. Um pouco mais como meia. Agora, chegou o momento do Patito", explicou o técnico.

Para o lugar de Alison, que está com a seleção olímpica para amistoso contra a Bolívia, em Cuiabá, Souza foi o escolhido. Enquanto Caju mais uma vez será o substituto de Mena na lateral esquerda, já que o titular também está servindo a seleção chilena. Com Thiago Ribeiro e Aranha ainda indisponíveis devido a lesões na coxa, Geuvânio e Vladimir também seguem na equipe.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.