Tamanho do texto

Técnico do Arsenal disse que queria ver a gravidade da lesão de Alexis Sanchéz e encontrou o português pela frente. Os dois trocam farpas há anos e quase partiram para o confronto físico

Arsène Wenger e José Mourinho se desentenderam na vitória do Chelsea sobre o Arsenal
Nick Potts/AP
Arsène Wenger e José Mourinho se desentenderam na vitória do Chelsea sobre o Arsenal

A guerra velada entre Arsène Wenger, técnico do Arsenal, e José Mourinho, técnico do Chelsea, segue mais acirrada do que nunca no futebol inglês. Os dois comandantes, que há anos trocam farpas por meio de declarações na imprensa, quase partiram para um confronto físico no domingo, quando as duas equipes se enfrentaram.

Leia mais: Diego Costa e Hazard marcam, e Chelsea supera Arsenal em clássico tenso

No episódio no Stanford Bridge, o francês chegou a dar um empurrão no português, que tentou revidar. Os dois técnicos reclamavam da arbitragem e tiveram que ser separados pelo quarto árbitro. Segundo Wenger, o empurrão não foi direcionado a Mourinho.

"Não me arrependo disso. Do que tenho de estar arrependido, afinal? Queria ir do ponto A ao ponto B e alguém surgiu no meu caminho e impediu que eu chegasse onde eu planejava. Só queria ver a gravidade da lesão de Sánchez", explicou o técnico após o duelo.

Em resposta ao desafeto José Mourinho, que no momento do lance reclamava com o árbitro que o rival estava fora da área técnica e depois afirmou que o empurrão era "falta de fair play", Wenger voltou a defender sua tese.

"Acho que vocês teriam visto com facilidade se eu quisesse empurrar alguém naquele momento. Não dou ouvidos ao que ele fala", encerrou o comandante. Apesar do episódio, o Arsenal acabou derrotado por 2 a 0 pelo Chelsea e perdeu a invencibilidade na competição.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.