Tamanho do texto

Após o triunfo diante do Botafogo, jogadores confirmaram que a diretoria do clube quitou as dívidas com o elenco

O Santos praticamente encaminhou sua classificação às semifinais da Copa do Brasil nesta quarta-feira, no Maracanã. Com a vitória por 3 a 2 sobre o Botafogo , o time de Enderson Moreira avança com qualquer empate ou até mesmo em caso de derrota por 1 a 0 ou 2 a 1, na Vila Belmiro, no próximo dia 16. Porém, os jogadores admitem que poderiam estar em uma situação mais tranquila ainda, já que a equipe desperdiçou inúmeras oportunidades claras de gol, principalmente no segundo tempo.

"Poderia ter saído com um placar melhor do que aconteceu, poderia ter encaminhado uma classificação mais tranquila para o próximo jogo. É isso que eu sempre falo quando jogamos fora de casa no Campeonato Brasileiro, quando tem chance tem que matar o adversário porque o adversário não tem dó da gente", cobrou o capitão Edu Dracena.

Confira a tabela da Copa do Brasil

Vale ressaltar que, com a expulsão de Robinho, o Santos atuou por quase 10 minutos com um jogador a menos. Fato que irritou Edu Dracena e fez o zagueiro reclamar veementemente com o árbitro Dewson Fernando Freitas da Silva após o apito final.

"Fui perguntar para ele (árbitro) o que aconteceu. De uma forma bem clara ele ficou calado, deve ter pesado na consciência dele", afirmou o camisa 2.

Arouca foi outro jogador santista a sair de campo feliz pela vitória, mas admitindo que o placar poderia ter sido ainda melhor.

"Conseguimos uma vitória, uma vantagem, poderia ser uma vantagem maior, acabamos levando um gol porque eles vieram para cima, mas não deixa de ser uma vantagem para levar para a Vila e conseguir a classificação", disse o volante, apoiado por Cicinho. "Nossa equipe está de parabéns, mesmo com um a menos, criamos muitas chances".

Salários em dia

Devendo dois meses de direitos de imagem e um mês de salário, além de premiação, a diretoria do Santos quitou seus débitos com o elenco pouco antes da partida contra o Botafogo. Depois da vitória por 3 a 2, os jogadores garantiram que o atraso não influenciou a equipe em campo, mas também demonstraram alívio.

"Tudo resolvido, graças a Deus. A gente é trabalhador como todo mundo, então, agora está tudo resolvido", externou Cicinho.

"Sem dúvida é importantíssimo ter o salário em dia. Mas o importante é que a equipe em nenhum momento deixou de ser empenhada em campo", continuou Arouca.

"Somos profissionais, independentemente de o salário ter atrasado, a gente sempre procura honrar a camisa que a gente veste", concluiu o capitão Edu Dracena.

* Com Gazeta.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.