Técnico do São Paulo estava no treino no CT da Barra Funda, na quinta-feira, quando começou a sentir um mal-estar

O técnico Muricy Ramalho passou mal e foi levado para hospital na tarde de quinta-feira devido a uma arritmia cardíaca. Ele passou a noite internado e a previsão dada pela assessoria do São Paulo era de que o treinador seria liberado na tarde de sexta-feira. Entretanto, o um boletim médico do hospital São Luiz informou que o comandante segue em observação e não há previsão de alta.

São Paulo tem queda de rendimento após crise política, mas Muricy nega relação

"Muricy se apresentou com mal-estar, foi feita uma avaliação mais restrita no CT. Observamos uma arritmia cardíaca e o levamos para o hospital. Por isso ele precisou permanecer na UTI para fazer o tratamento. Podemos adiantar que ele não deve participar contra o Fluminense. Porém, não há gravidade”, afirmou o médico do São Paulo, José Sanchez, em entrevista à TV Bandeirantes .

Muricy Ramalho, técnico do São Paulo
Getty Images/Alexandre Schneider
Muricy Ramalho, técnico do São Paulo

Muricy estava no treino no CT da Barra Funda quando começou a sentir um mal-estar. Ele relatou o ocorrido ao departamento médico do clube, que optou por encaminha-lo para o hospital São Luiz para a realização de exames.

O São Paulo entra em campo na noite deste sábado, diante do Fluminense. Até a manhã desta sexta não havia previsão para a saída de Muricy do hospital. Logo, ele não deve estar no comando da equipe no duelo válido pela 25ª rodada do Campeonato Brasileiro.

O Tricolor Paulista ocupa a terceira posição na tabela de classificação, com 43 pontos, atrás apenas do Internacional e do líder Cruzeiro.

Estressado

Segundo Sanchez, o estresse é o principal inimigo dos técnicos. "O futebol certamente pode acarretar problemas. O estresse é muito grande, a adrenalina sobe, e podem existir repercussões prejudiciais ao organismo. Pessoas que trabalham com o futebol acabam se preparando um pouco para isso, mas realmente a vida de um treinador não é nada saudável. Não tenho dúvidas de que foi um fator decisivo para o que aconteceu com o Muricy", disse.

O médico afirmou que Ramalho não deve ser sequer consultado sobre a escalação do São Paulo para o jogo do fim de semana. "O Muricy não terá qualquer comunicação em relação ao jogo. Ele mesmo não quer isso, pois sabe que representa uma carga de estresse. Mas, mesmo que fosse da vontade dele, a gente tentaria demovê-lo da ideia. Estamos tentando deixá-lo o mais tranquilo possível, alheio à sua atividade profissional. É preciso dar um tempo para ele. Está fora, fora, fora. Não será nem consultado", acrescentou.

* Com Gazeta.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.