Com vitória, paulistas foram a 25 pontos e saltaram da 20ª para a 17ª posição na tabela do Campeonato Brasileiro

Quase 15 mil torcedores estiveram no Pacaembu nesta quinta-feira tentando esquecer a vexatória derrota por 6 a 0 para o Goiás, no domingo. O Palmeiras também fez a sua parte para isso. Mesmo sem encantar, o time mostrou futebol suficiente para superar o Vitória , vencer por 2 a 0 e ganhar sobrevida para evitar o rebaixamento no Campeonato Brasileiro .

Confira classificação, tabela de jogos e artilharia do Campeonato Brasileiro

O resultado ainda não foi suficiente para tirar o Verdão da faixa de descenso na tabela, mas tirou a equipe da última posição e, principalmente, injeta ânimo nos comandados de Dorival Júnior. Esforçado e apoiado pela torcida do primeiro ao último minuto, o time passa a ter autoconfiança para, agora com 25 pontos e em 17º lugar, encarar o Figueirense no domingo, às 18h30 (de Brasília), em Florianópolis.

Jogadores do Palmeiras comemoram o gol de Henrique, o segundo diante do Vitória
Wagner Carmo/Inovafoto/Gazeta Press
Jogadores do Palmeiras comemoram o gol de Henrique, o segundo diante do Vitória

A consequência positiva se deve ao prêmio pelo empenho alviverde nesta noite. Marcando e pressionando o rival, o Palmeiras aproveitou sequência de escanteios para abrir o placar com Lúcio, aos 25 minutos do primeiro tempo. Uma linha de passes de qualidade entre Valdivia, Cristaldo e Bernardo culminou ainda em belo gol de Henrique, aos 17 da etapa final, fechando o marcador e o triunfo.

O Vitória, que pouco mostrou nesta noite, entra na zona de rebaixamento, estacionado nos 24 pontos e, agora, ocupa a antepenúltima colocação da tabela. Às 16 horas de domingo, a equipe baiana tenta se recuperar visitando o Atlético-MG, no Independência.

O jogo

Dorival Júnior abriu mão de uma formação com o meio-campo mais solto. Ciente das deficiências do Juninho, colocou o lateral esquerdo em sua posição original e preferiu o mais dedicado e marcador Victor Luis como volante ao lado de Renato. Com a volta de Valdivia, inovou ao apostar em Mazinho para avançar pela direita, com Cristaldo do outro lado.

A movimentação intensa para se aproximar de Henrique transformava o 4-2-3-1 em 4-3-3, e logo prendeu o Vitória na defesa. O time baiano tinha nove jogadores do meio-campo para trás, só com Dinei na frente e William Henrique se mexendo para ser opção. Acuados, os visitantes fizeram cera pedindo atendimento médico duas vezes antes dos dez minutos.

Com espaço, Renato passou a ser um quinto elemento com presença constante no setor ofensivo do Verdão. Sobrava gente e vontade, mas faltava acertar. Mazinho, como a torcida já conhece, era um grande exemplo dessa condição, pois errava tudo que tentava. A surpresa era Valdivia, que falhava em lances simples até para quem não tem a sua qualidade.

Renato disputa a bola pelo alto com Richarlyson no duelo entre Palmeiras e Vitória, no Pacaembu
Miguel Schincariol/Gazeta Press
Renato disputa a bola pelo alto com Richarlyson no duelo entre Palmeiras e Vitória, no Pacaembu

Com tantos erros do rival, o Vitória resolveu adiantar seu jogo a partir dos 15 minutos, prejudicando ainda mais a já falha saída de bola palmeirense. Mas os comandados de Dorival não deixavam de mostrar uma de suas raras qualidades: vontade. Correndo, logo conseguiram, mais uma vez, acuar o também fraco adversário em seu campo.

Aos 22 minutos, Lúcio chutou com perigo após cobrança de escanteio e injetou tanta confiança no time que até Mazinho acertou, com um belo drible entre as pernas do adversário dentro da área. O Verdão conseguiu uma sequência de escanteios que tornou o gol questão de tempo. Aos 25, saiu com Lúcio testando nas redes após a cobrança de um deles.

O ânimo na abertura do placar, porém, virou desatenção e quase se tornou um rápido empate, já que uma sequência de erros da defesa do Palmeiras deixou William Henrique livre na cara de Deola, só não balançando as redes porque exagerou na finalização e isolou. O lance, ao menos, serviu para acordar os anfitriões, que voltaram a adiantar a marcação para afastar o perigo.

De tanto pressionar na marcação, o Verdão quase fez mais um ainda no primeiro tempo, em passe de Lúcio que Valdivia, na cara do goleiro, chutou para fora, aos 42 minutos. Mas a vontade e dificuldade imposta ao rival foram suficientes para a torcida aplaudir a equipe no intervalo.

O time, porém, demorou a acertar jogadas após sair dos vestiários e, aos seis, levou em chute de Juan que Deola conseguiu segurar. Aos sete, Mazinho jogou fora a chance de mais um gol ao, completamente livre, errar cruzamento rasteiro na pequena área e, após bate-rebate, Juninho pouco conseguir fazer a bola andar em finalização em cima da defesa. Pouco depois, Mazinho se machucou e foi trocado por Bernardo.

Mas continuava sobrando vontade na equipe, a ponto de Valdivia aparecer até como volante, dando carrinhos e afastando de cabeça em cruzamentos do rival. Aos 17, o chileno, acertou com a bola no pé. Como mais sabe, clareou a jogada encontrando Cristaldo na esquerda e o argentino manteve a linha de passe tocando para Bernardo, que rolou para Henrique, completamente livre, ampliar o placar concluindo a linda jogada nas redes.

O palmeirense pôde respirar aliviado e continuar cantando e vibrando sem parar. Por aliar dedicação e qualidade para complicar a vida adversária, Cristaldo e Valdivia saíram de campo ovacionados. Mesmo sem eles, o Palmeiras foi inteligente mantendo a bola na frente e o torcedor conseguiu esquecer o vexame em Goiás para distribuir aplausos a um time que mostrou sobrevida para não ser rebaixado.

FICHA TÉCNICA
PALMEIRAS 2 X 0 VITÓRIA

Local: Pacaembu, em São Paulo (SP)
Data: 25 de setembro de 2014, quinta-feira
Horário: 19h30 (de Brasília)
Árbitro: Wilton Pereira Sampaio (Fifa-GO)
Assistentes: Cristhian Passos Sorence e Bruno Raphael Pires (ambos de GO)
Assistentes adicionais: Eduardo Tomaz de Aquino Valadao e Fabricio Nery Trindade (ambos de GO)
Público: 14.907 torcedores
Renda: 325.605,00
Cartões amarelos: Juninho, Nathan (Palmeiras), Juan, Luis Aguiar, Mansur e Richarlyson (Vitória)
Gols: PALMEIRAS: Lúcio, aos 25 minutos do primeiro tempo; e Henrique, aos 17 minutos do segundo tempo

PALMEIRAS: Deola; João Pedro, Lúcio, Nathan e Victor Luis; Renato e Juninho; Mazinho (Bernardo), Valdivia (Bruno Cesar) e Cristaldo (Patrick Vieira); Henrique
Técnico: Dorival Júnior

VITÓRIA: Roberto Fernández; Nino, Roger Carvalho, Kadu e Juan (Willie); Adriano, Cáceres, Richarlyson (Mansur) e Marcinho; Dinei e William Henrique (Luis Aguiar)
Técnico: Ney Franco

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.