Autor do gol da vitória corintiana em Itaquera, peruano afirma que rival não levou perigo além dos lances dos gols

Guerrero, atacante do Corinthians
Daniel Vorley/Agif/Gazeta Press
Guerrero, atacante do Corinthians

O clássico com o São Paulo ainda estava distante mais de uma semana quando Paolo Guerrero, atacante do Corinthians , questionou os elogios ao futebol vistoso do rival. "Vamos ver se conseguem jogar assim contra a gente", disse. Nove dias depois, ele foi o melhor em campo na vitória por 3 a 2 do seu time em Itaquera

Confira classificação, tabela de jogos, artilharia e notícias do Brasileirão

Questionado se o Corinthians tinha jogado melhor do que o São Paulo, o peruano se surpreendeu com a pergunta. "Lógico. O Corinthians jogou só. Nós queríamos jogar, queríamos ganhar. Tirando os lances de bola parada dos gols, eles não deram mais nenhum chute no gol", afirmou.

Superior tecnicamente no jogo, a equipe do Parque São Jorge também apresentou a disposição tão valorizada por sua torcida. "Foi um jogo muito pegado. Era clássico. Fico feliz porque fizemos um bom trabalho, com sacrifício. O Corinthians é um time de muita raça", disse Guerrero.

Confira imagens dos jogos desta rodada do Brasileirão:

Mano Menezes também valorizou o trabalho feito por seus jogadores. Ele gostou do desempenho coletivo alvinegro e viu nessa boa produção um motivo pela participação de destaque do peruano. Não aconteceu como em outras oportunidades, em que o centroavante tinha que armar e concluir as próprias jogadas.

"O Corinthians jogou melhor. Em consequência disso, o Guerrero jogou melhor. O último homem depende da equipe. E a equipe chegou com qualidade para ele definir. No primeiro tempo, duas bolas passaram na pequena área, na linha do gol. O centroavante é um homem que precisa muito disso. Precisa de bolas trabalhadas como a do terceiro gol, porque é definidor", comentou o treinador.

*Com Gazeta

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.