Tamanho do texto

Lateral-esquerdo da Internazionale foi uma das novidades da convocação anunciada pelo técnico na última quarta-feira

Dodô, lateral da Inter de Milão
Getty Images
Dodô, lateral da Inter de Milão

O lateral-esquerdo Dodô, da Internazionale , foi uma das novidades da convocação anunciada pelo técnico Dunga na última quarta-feira . Na tarde desta sexta, o atleta contou como recebeu a notícia. Ele estava na Ucrânia para o confronto diante do Dnipro, válido pela Liga Europa, quando soube que estava na lista da seleção brasileira.

"Fiquei muito feliz. Eu não sabia que a convocação sairia agora porque a seleção jogou recentemente, então eu não estava sabendo. Foi uma boa surpresa", disse Dodô em entrevista ao SporTV . O atleta, revelado pelas categorias de base do Corinthians, chegou ao time principal em 2009, aos 17 anos. 

Ganso: 'Estou jogando bola suficiente para ser convocado para a seleção'

Em dezembro de 2010 ele foi emprestado ao Bahia por não ser muito aproveitado por Tite, comandante do Corinthians na época. Em novembro de 2011, na partida entre Inter e Bahia válida pelo Campeonato Brasileiro, o zagueiro Bolívar fez falta uma falta dura Dodô, que rompeu os ligamentos cruzados do joelho e ficou afastado dos gramados por seis meses.

Recuperado, o jogador anunciou sua ida para a Itália para defender a Roma, onde alcançou um novo patamar em questão de qualidade técnica. Em julho deste ano, a Inter de Milão acertou a contratação por empréstimo do lateral, que assinou um acordo pelas próximas duas temporadas. Como saiu do Brasil muito novo, o jogador teve oportunidade de entrar em contato com novas experiências. Ele relembra os aprendizados dessa nova fase de sua vida.

CBF ignora cartas de Cruzeiro e Corinthians para tirar seus jogadores da seleção

"A evolução é natural pelo número de jogos, mas também pelo fato de eu ter mudado de país, muda o nível do campeonato também. Aprendi muitas coisas. Eu tive a felicidade de jogar com Willian e tantos outros campeões no Corinthians, mas na Itália eles têm esse futebol muito tático, talvez um pouco mais lento se comparado a outros campeonatos europeus. Defensivamente, a gente trabalha muito. Para minha formação e no aprendizado diário, conta muito o fato de jogar na Inter", comentou o jovem de 22 anos.

"Eu tive esse episódio difícil que seguramente fez eu perder alguns meses no futebol, mas me trouxe maturidade porque enquanto você está machucado, se dedica mais e procura dentro de você estímulo e autoestima para sair da situação", acrescentou o jogador.

Empolgado para estrear com a camisa verde-amarela, Dodô falou das expectativas e se mostrou disposto a aprender com as orientações de Dunga.

"Espero tudo de bom, conheço muitos jogadores que estão na lista. Joguei com alguns na seleção de base, alguns encontrei como adversário. Estou feliz de ter essa oportunidade e espero poder estar à altura. Quero ouvir as instruções do técnico Dunga e poder mostrar meu trabalho na seleção", finalizou.

A primeira chance que Dodô terá de mostrar seu futebol será no Superclássico das Américas contra a Argentina e o amistoso contra o Japão, ambos em outubro.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.