Técnico disse ter descartado propostas para sair, e diretor de futebol do clube reforçou confiança no trabalho

A derrota por 2 a 0 para o Internacional foi a terceira seguida do Botafogo no Campeonato Brasileiro. A má sequência fez o time estacionar nos 22 pontos e figurar a apenas um pontinho da zona de rebaixamento. Neste cenário surgiram especulações sobre a possível demissão do técnico Vagner Mancini, que estaria ameaçado de ser dispensado caso o Glorioso não supere o Bahia, em confronto direto programado para as 22 horas (de Brasília) desta quarta-feira, no Maracanã, pela 22ª rodada.

Mancini ganhou a confiança dos dirigentes e dos próprios jogadores ao recusar algumas propostas recentes para permanecer com o elenco, mesmo com os salários atrasados e com a luta contra o rebaixamento.

Veja como está a classificação do Campeonato Brasileiro

"Realmente os convites existiram, mas não me sinto à vontade de revelar nomes de clubes por uma questão ética. O que posso dizer é que firmamos um compromisso para tirar o Botafogo de qualquer situação de risco e ter um segundo semestre um pouco mais tranquilo. Pretendo lutar por isso", disse Mancini.

Assim que o primeiro boato sobre a demissão de Mancini surgiu, após a derrota de 4 a 2 para o São Paulo, o diretor de futebol Wilson Gottardo tratou de descartar essa possibilidade. "Lamento apenas não saber de onde surgiram essas notícias sobre a saída do Mancini. O trabalho dele nunca foi questionado. Muito pelo contrário. Estamos percebendo que a equipe vem encontrando seu futebol, mesmo sofrendo com alguns desfalques nas últimas partidas. Confiamos no trabalho do Mancini", afirmou Gottardo.

Após o jogo contra o Internacional, ainda no vestiário do Estádio Beira-Rio, o treinador deu uma dura bronca no elenco. Cobrou mais empenho, principalmente no segundo tempo, e reclamou do excesso de chances desperdiçadas quando a partida ainda estava empatada sem gols. Não ouviu nenhuma reclamação por parte dos jogadores e isso deixou visível para a diretoria que ele conta com o apoio do plantel.

Além disso, outro fato que pesa a favor de Vagner Mancini é que o Botafogo não tem muito dinheiro em caixa para investir na contratação de um outro treinador. Oswaldo de Oliveira, nome de confiança do presidente Maurício Assumpção e livre no mercado desde que foi dispensado pelo Santos, é considerado caro e também não parece disposto a pegar nenhuma equipe até janeiro.

* Com Gazeta.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.