Tamanho do texto

Torcedora não morava no local desde episódio de racismo, que acabou resultando na exclusão do clube da Copa do Brasil

Casa de Patrícia Moreira foi incendiada em Porto Alegre na madrugada desta sexta-feira
Divulgação/Arquivo pessoal
Casa de Patrícia Moreira foi incendiada em Porto Alegre na madrugada desta sexta-feira

A torcedora do Grêmio , Patrícia Moreira da Silva, flagrada chamando o goleiro Aranha, do Santos , de macaco durante partida válida pela Copa do Brasil na Arena no final de agosto, teve sua casa em Porto Alegre incendiada na sexta-feira. Através da sua conta no Twitter, a Polícia Civil do Rio Grande do Sul informou que o suspeito já foi preso e encaminhado para 14ª Delegacia de Polícia da Capital.

Segundo o jornal Zero Hora , o Corpo de Bombeiros foi chamado por volta das 4h para controlar as chamas, que atingiram principalmente o assoalho. As informações são do advogado de Patrícia, Alexandre Rossato, que divulgou fotos da casa incendiada. 

Veja a classificação, tabela de jogos, artilharia e notícias do Campeonato Brasileiro

Relembre casos de racismo no futebol mundial:

Rossato defende a torcedora no processo movido pelo goleiro do Santos. Ele afirma que sua cliente deixou a casa após o episódio na partida do Grêmio e está morando na casa de familiares. Segundo Rossato, o imóvel será alugado. Ele disse que o ataque é absurdo.

"Não temos ideia dos autores, mas o que está acontecendo é um absurdo. Estão tendo atos muito mais criminosos do que qualquer crime que ela tenha cometido", disse o advogado. Por causa das ofensas racistas a Aranha, de Patrícia e também de outros gremistas, o clube gaúcho foi excluído da Copa do Brasil.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.