Os refletores, segundo o goleiro, atrapalharam a visão no lance que originou o gol de Richarlyson para o Vitória no Barradão

O goleiro Dida conhece o Barradão como poucos. Apesar de ter sido formado na base do Vitória no começo dos anos 1990, o camisa 1 do Internacional  caiu em uma velha armadilha para os goleiros no estádio: os refletores, que atrapalham a visão na hora de interceptar cruzamentos. Foi isso, segundo ele, que causou a sua falha no gol de Richarlyson, que abriu a vitória do time da casa nesta quarta-feira.

"Aqui no Barradão tem a dificuldade de os refletores ficarem em cima. Eu não vi a bola, dei um passo para a frente e ela entrou", explicou o goleiro, que reconhece a má fase do time, derrotado em quatro dos últimos cinco jogos que disputou no Brasileirão. "Temos que melhorar muito, nos dedicar mais. Não estamos concluindo as chances e também concedemos espaços atrás para os adversários", analisou.

Apesar da derrota para o então lanterna do campeonato e do clima de desânimo do técnico Abel Braga e do diretor Marcelo Medeiros no final da partida, o centroavante Wellington Paulista viu uma boa atuação do Inter nesta quarta. "No primeiro tempo tivemos mais posse e chances, mas não matamos o jogo. O time adversário em uma falta e um cruzamento ganhou o jogo. Para mim, o goleiro do Vitória foi o melhor em campo. O Abel tenta mudar o time de todas as formas. Hoje fomos muito bem, mas não matamos o jogo."

Com a derrota, o Internacional segue com 34 pontos, em terceiro lugar, mas pode perder uma posição caso o Corinthians derrote o Atlético-MG nesta quinta-feira. No domingo, a equipe gaúcha receberá o Botafogo, no Beira-Rio.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.